Edição 102 – 13/6/2017

Corte de gastos afeta os gabinetes médicos do BC


Na ânsia de cumprir a determinação do Governo de contingenciar o orçamento do Banco Central do Brasil, a direção continua apontando sua tesoura para os contratos terceirizados, eliminando postos de trabalho, contribuindo para o aumento do desemprego no país e afetando diretamente o funcionamento da instituição e o bem-estar dos servidores.

Desta feita, foram os ambulatórios, que prestam assistência médica, odontológica, psicológica, psiquiátrica e serviços de assistência social, os atingidos, em quase a totalidade das sedes do Banco.

No exato momento em que propaga como um mantra seu interesse pela saúde do funcionalismo, a direção do BCB, com critérios no mínimo questionáveis, toma medidas na direção diametralmente oposta, fragilizando o atendimento ambulatorial, garantia de orientação e suporte sobre questões de saúde ao servidor.

Motivo de preocupação para todos nós é que o presidente Ilan Goldfajn informou que os cortes nas despesas eram necessários para se adequar às imposições da Emenda Constitucional – EC 95/2016, também conhecida como a do teto dos gastos, que vigorará pelos próximos 20 anos e já neste primeiro impõe um contingenciamento das despesas do BC de, “apenas”, 56%. Lembramos, ainda, que esta medida restringe todas as despesas anuais de custeio do governo ao que foi gasto no exercício anterior, atualizado pelo índice inflacionário, liberando, como só poderia acontecer, do cumprimento dessa limitação as despesas financeiras.

O Sinal, assim como nas edições nº 82 e 95 do Apito Brasil, reafirma sua posição de que a direção precisa mostrar autoridade e defender o Banco Central do Brasil, reforçando que suas funções são essenciais para o projeto de estabilização econômica do país, a manutenção da higidez do sistema financeiro nacional e a distribuição e preservação do meio circulante, entre outras, não podendo sofrer prejuízos por cortes orçamentários indiscriminados, que possam prejudicar os serviços prestados à sociedade brasileira.

Edições Anteriores RSS
Sábado, 16 de dezembro de 2017
shadow