COM TODO O RESPEITO

     Meus amigos e amigas leitores, este recado endereço ao Exmo. Sr. Presidente do STF, que voltou a criticar severamente a ação da Polícia Federal ao prender diversos cidadãos do colarinho branco.  Disse ele para todos ouvirem:  “De novo, um quadro de espetacularização das prisões". Referia-se às prisões, por parte da Polícia Federal, durante a Operação Satiagraha, do ex-prefeito de São Paulo, Celso Pitta, do banqueiro Daniel Dantas e do empresário Naji Nahas, além de outros acusados de crimes de lavagem de dinheiro, corrupção e formação de quadrilha. “Espetacularização” Excelência?! A PF, depois de tanto tempo trabalhando para obter provas que levaram àquela ação, deveria agir como, me diga, por gentileza? Afinal ali estão pessoas que há décadas vêm se comportando neste país como verdadeiros escroques do colarinho branco, impunemente, conforme noticiário amplamente divulgado. As algemas não existem para isso?  Um deles chegou ao cúmulo de levar a Bolsa de Valores de S. Paulo a quebrar, isto creio que nos anos 70, para se locupletar, dando prejuízo a milhões de investidores!! Até hoje está solto, impune. Merece tapete vermelho, Excelência?? Talvez merecesse um gentil convite para comparecer à PF, quando dispuser de um tempinho entre uma “ação” e outra, é isso?!  Usar algemas em banqueiro cuja mídia não cansa, também há décadas, de dizer que constrói parte de sua fortuna com atitudes ilícitas, ilegais, e nunca vai preso, é “espetacularização”? Por que nunca formaram um processo? Julgado, muito menos!! Que é isso? Então só devem usar algemas mesmo em pessoas pobres, desprotegidas, que cometem pequenos furtos, como outro dia eu vi uma senhora ser num mercado? É isso? Prender ex Governador já de há muito acusado, denunciado igualmente por atitudes ilícitas, mas cujos processos, se os há, nunca foram avante pra se saber se ele era ou não um escroque, também sendo algemado, é “espetacularização”?!  E quantos mais denunciados agora pela PF, ao que tudo indica numa operação muito séria, ao serem presos deveriam ser, o que, acarinhados, talvez?! Quem sabe a PF deveria pedir desculpas por lhes “causar este incômodo”… Ora, ora, Excelência, por favor!!! As algemas os deixam “constrangidos”, Excelência? Constrangidos ficamos todos nós, povo brasileiro, a ver rolar pelo país afora tanta bandalheira, tanta corrupção, tanto desvio de dinheiro público, tanta jogada ilícita, tanto processo que nunca chega ao seu final, tanto bandido de colarinho branco que não vai a julgamento, tanta mentira travestida de verdade, etc e tal.  Constrangido ficamos nós até por ter novamente que votar sabendo que entre os candidatos muitos ali deverão estar mesmo possuindo uma ficha suja. E isso aprovado pelo… TRE, se não me falha a memória. E aí, Excelência?  Para que então o empenho em trazer de volta o Cacciola, é, aquele banqueiro que também fez das suas muitas vezes por aqui e um colega seu, do alto da sua toga, o libertou dizendo que “ele não representava perigo para a sociedade, que tinha endereço certo e nem pretendia fugir”. O senhor se lembra, Excelência?  Dias depois ele fugia pela fronteira, tomou um avião e foi viver na Europa. Que maravilha, não? Que belo senso, ou tino, de avaliação teve o seu colega à época, não? Será que a atitude dele seria a mesma se se tratasse de um ladrão comum, é, um ladrão sem posses, que tivesse endereço certo mas não pudesse fugir do país? Sabe, Excelência, com todo o respeito que me merece, reconhecendo o seu mérito, começo a pensar, como eu já disse em certo poema, que a nossa Justiça, ou parte dela, não está a agir como deveria ser ou… cega.  Afinal em muitos casos envolvendo pessoas de posição social destacada observo que nossa Justiça, cada vez mais, em vez de cega está mesmo é a ser… seletiva!!! Nos meus 71 anos já presenciei muita coisa, já acreditei também que seríamos o país do futuro, mas o meu futuro já chegou e o país… O meu horizonte está cada dia mais próximo. Daqui pra frente cada dia é lucro.  Não aquele tipo de lucro a que os escroques acima estão acostumados, mas obtido com o meu trabalho e sustentado pela minha saúde, graças a Deus. O futuro que antevejo para o país não me anima nem um pouco, acredite. Então, da minha parte: algema neles.