“VIADINHO” DA FUNDAÇÃO

            Para comemorar seus 120 anos de fundação, o Colégio Anchieta de Nova Friburgo conclamou os seus ex-alunos a participar do desfile de Sete de Setembro. E uniformizados com a tradicional camisa azul da bateria do colégio, calça jeans e sapatos pretos, desfilamos sobre os paralelepípedos da principal avenida da cidade. Marchei acompanhado do olhar atento da minha esposa na calçada e rodeado de amigos dos bancos escolares. Contudo, realizei um desfile solitário, comovente, choroso, que recuperou lembranças de 40 anos.         Cobiçando ganhar a taça que ninguém nunca viu de melhor bateria, todos os colégios se esmeravam para o Sete de Setembro: treinavam marchar, pintavam e lustravam os instrumentos e todo ano havia a inauguração de um imbatível uniforme da fanfarra.         Contudo, os grandes rivais eram o Anchieta e o extinto Colégio Nova Friburgo (CNF), da Fundação Getúlio Vargas. O primeiro, um educandário com raízes na cidade. O segundo, um internato de alunos de fora, a maioria filhos de pais ricos e separados.          Apesar da ordem do desfile ser definida por sorteio, todo ano era a mesma coisa: o Anchieta era o penúltimo a desfilar e o CNF, conhecido como Fundação, o último. O clima era de Brasil x Argentina em final de Copa do Mundo.            Terminado o desfile do Anchieta, íamos para platéia rezar para todos os santos para que, durante o desfile da Fundação desabasse um temporal, ocorresse freqüentes e sonoros escorregões, enfim que acontecesse alguma coisa capaz de arrasar a apresentação do rival.           Blusa azul de manga comprida e gola “v”, calça cinza, cabelos compridos e molhados e óculos escuros, lá vinham eles. Marchavam ao estilo militar, rápido – passo de ganso – sem baliza dando saltos mortais, sem cumprimentos às autoridades e sem nenhuma evolução da bateria. Parecia que o tempo parava, que ninguém respirava ou se mexia, que o silêncio era absoluto e que o mundo estava jogado a seus pés.A certeza de que a taça invisível mais uma vez havia sido ganha pelo adversário vinha antes da sessão das 15:30h do Cine Eldorado, quando eles passeavam garbosamente de mãos dadas com as moças friburguenses mais cobiçadas. O consolo era xingá-los – de longe – com a expressão mais depreciativa da época: viadinho da Fundação!       Este ano, em homenagem aos 120 anos do rival, os ex-alunos do Colégio Nova Friburgo – que anualmente não deixam de ir a cidade desfilar – concederam a primazia de nós, anchietanos, fecharmos a solenidade. Nada havendo em disputa, na dispersão a antiga rivalidade foi esquecida e houve até troca de aplausos. Porém, duvido que qualquer de nós do Anchieta, ao mesmo tempo em que observávamos o grupo da Fundação se retirar abraçados às suas esposas – relembrando os velhos tempos – deixasse escapar a oportunidade de atirar-lhes por meio do pensamento a última faísca de inveja que ainda restava: "Já vão tarde seus viadinhos da Fundação!!"

    COMPARTILHAR
    Matéria anteriorA MINHA BANDEIRA BRANCA
    Matéria seguinteE AGORA LULA?