Edição 0 - 15/03/2004

Boletim n. 370, de 16/03/04

ASSEMBLIA HOJE


TER€A-FEIRA, ·S 14H


 


Pauta:


 


1.            Autoriza‡Æo para ado‡Æo de medidas judiciais que se fizerem necess rias em rela‡Æo ao PASBC/FASPE, e contrata‡Æo de advogado(s) para ingressar com a(s) a‡Æo(äes) competente(s);


2.      Abertura da Campanha Salarial. 


 


A participa‡Æo de todos ‚ importante. Compare‡a!

 


 


A CADA DIA QUE PASSA


 


     A cada dia que passa, n¢s servidores p£blicos, e do Banco Central, em especial, vemos mais e mais nossos direitos serem extirpados, e os nossos sal rios, j  reduzidos pela infla‡Æo, serem atacados por descontos e cobran‡as cada vez maiores, quer seja a CPSS, o Plano Bresser ou o pr¢prio PASBC.


    Muito embora tenhamos conseguido um PCS, no final do ano passado, que acarretou um aumento real para alguns n¡veis da carreira, na m‚dia o aumento da folha nÆo correspondeu sequer … infla‡Æo do per¡odo decorrido entre a malfadada MP 45 e a implementa‡Æo do Plano. Ou seja, nÆo conseguimos sequer manter o poder de compra dos sal rios, entre a data em que dever¡amos ter obtido um reajuste salarial e a sua concretiza‡Æo. O saldo foi negativo na m‚dia, o que significa que, se os n¡veis iniciais da carreira tiveram um reajuste superior, TODOS tivemos reduzido o nosso sal rio do final de carreira, com o qual nos aposentaremos, e que por mais tempo receberemos.


    Quando muitos de n¢s viemos aqui trabalhar, a assistˆncia m‚dica, considerada melhor do que a atual, era oferecida pelo Banco como sal rio indireto, nÆo era paga! Mas, aos poucos, o Banco vem transferindo ao funcionalismo o “nus de sua m  gestÆo. Partiu da cobran‡a de um valor irris¢rio, a fim de que nÆo nos insurg¡ssemos, at‚ chegar a esta infeliz situa‡Æo em que nos encontramos.


    De forma a acobertar sua estrat‚gia, livrar-se do “peso” da sa£de dos funcion rios, o Banco aproveitou-se dos valores das reserva do Faspe para administrar a assistˆncia m‚dica aos funcion rios, …s custas da dilapida‡Æo do fundo, resultante da ausˆncia de sua contribui‡Æo, e da utiliza‡Æo dos recursos nele existentes para pagamento de despesas, relativas aos aposentados e pensionistas celetistas, cuja responsabilidade ‚ do or‡amento do Banco. Assim, apropriou-se indebitamente dos recursos do Faspe para cobertura de suas despesas correntes.


    NÆo pode o Banco Central alegar que o Fundo ‚ administrado tamb‚m por representantes dos funcion rios, pois sempre indicou a maioria do seu conselho gestor. Avizinhando-se a situa‡Æo calamitosa de insolvˆncia, resolveu o Banco aumentar a participa‡Æo dos funcion rios na sua gestÆo, estabelecendo a paridade de conselheiros, procurando dividir ao meio a responsabilidade da administra‡Æo dolosa que vinha conduzindo. Mas reservou-se, ainda, o direito ao voto de Minerva.


    E assim, sob a administra‡Æo dolosa do Banco Central, o rombo cresceu, o fundo foi dilapidado, e agora chegou a conta, que o Banco pretende dividir entre os funcion rios, que j  contribuem mensal e indevidamente, para viabilizar as mazelas administrativas que o Banco Central impingiu ao nosso Faspe.


    E de quanto ‚ essa conta? Ningu‚m sabe. Ningu‚m viu. Ser  que a Diretoria de Administra‡Æo est  esperando que nos acostumemos com a id‚ia para nos impingir um pagamento financiado do tipo Casas Bahia?


    NÆo podemos mais aguardar para assumir um posicionamento. O Banco est  retardando a divulga‡Æo dos valores para reduzir nosso leque de respostas. Se deixarmos o Faspe chegar … beira da insolvˆncia, teremos que escolher entre pagar a conta ou perdˆ-lo.


    Devemos agir agora, exigindo que o Banco Central reponha os preju¡zos que sua m  administra‡Æo causou ao fundo e, se for o caso de termos que pagar alguma conta, que seja predefinido o valor da contribui‡Æo, dando-nos o direito de escolha do plano de sa£de que desejamos participar. Ningu‚m contrata um servi‡o, compra um produto, ou pede um prato no restaurante sem antes verificar o pre‡o. N¢s temos o direito de escolher o que comprar pelo que estamos dispostos a pagar. 


    Se nÆo nos mobilizarmos agora, ser  tarde. Vamos terminar como rÆs cozidas? (*)


 


(*)  Ao se jogar rÆs em  gua quente, elas pulam fora. Por‚m, se jogadas em uma panela com  gua fria, aquecida lentamente, elas permanecem l ,  at‚ serem cozidas.

 


 


ABERTA NOVA LINHA DE COMUNICAۂO


ENTRE OS FILIADOS


 

    O SINAL criou, em seu Portal na Internet (www.sinal.org.br), um espa‡o para debate livre entre os filiados, voltado para assuntos de interesse da categoria. A macro j  se encontra em funcionamento. Para acess -la, utilize a mesma senha do Banco de Dados.

Edições Anteriores RSS