Edição 0 - 25/05/2007

SINAL-SP INFORMA nº 145, de 25.05.07: Assembléia às 10h, dia 28.05 / A greve em SP / Release à Imprensa

 

 SINAL-SP INFORMA

São Paulo, 25 de maio de 2007 – nº 145

 

 

ASSEMBLÉIA NA SEGUNDA-FEIRA, 28/05, ÀS 10H

Na segunda-feira, haverá assembléia às 10h, para deliberarmos sobre os rumos do movimento.

Participe!

 

A GREVE EM SÃO PAULO

A greve continua forte, nesta sexta-feira, 25/05. Com o tratamento diferenciado a favor do pessoal da Polícia Federal, os servidores do Banco Central em SP aumentaram a adesão: agora são 82% em greve, considerado o número dos que trabalham normalmente no prédio.

A assembléia realizada a partir das 10h, com a presença de 259 servidores, conforme a lista de presença, aprovou as seguintes propostas:

a) Deliberar hoje sobre a proposta apresentada pelo governo. A aprovação foi por 241 votos a favor, contra 14 votos a favor de deliberar na segunda-feira, dia 28/05, com 4 abstenções;

b) Rejeição à proposta do governo. A aprovação foi por 255 votos a favor da rejeição, nenhum voto contra e 4 abstenções;

c) Manutenção da greve. A aprovação foi por 253 votos a favor da manutenção, nenhum voto contra e 6 abstenções;

d) Que o Conselho Regional do Sinal-SP faça apelo aos colegas de Belo Horizonte e Porto Alegre no sentido de retornarem ao movimento. A aprovação foi por 218 votos a favor, 15 votos contra e 26 abstenções;

e) Que os participantes da assembléia se dirijam ao auditório do BC, aguardando a presença do presidente Meirelles – que se encontra no prédio, a convite de uma comissão de representantes do funcionalismo. A aprovação foi por 104 votos a favor, 21 votos contra e 61 abstenções.

Encerrada a assembléia, com o propósito de cumprir o aprovado, mais de cem colegas subiram para o auditório. O presidente Meirelles recusou-se a receber a comissão de representantes, alegando uma série de compromissos assumidos. Disse que poderia nos receber hoje à noite ou no sábado, pela manhã. Alertados que o presidente poderia estar de saída, o pessoal que se encontrava no auditório dirigiu-se para a entrada da garagem, na Avenida Paulista, para recepcioná-lo. Entretanto, aguardaram em vão. Finalizando, um grupo subiu novamente para o auditório para uma sessão de fotos.

Fotos: clique em [ 1 ], [ 2 ], e [ 3 ]

 

Release encaminhado pela assessoria de imprensa do SINAL-SP:

MEIRELLES IGNORA GREVE E FOGE DO BC

Em visita a São Paulo, o presidente do BC, Henrique Meirelles, recusou-se nesta manhã a receber os funcionários da Instituição, em greve desde o dia 3 de maio. Servidores da regional de São Paulo haviam lotado o auditório do prédio na expectativa de obter um posicionamento do chefe da Casa em relação à sua campanha salarial. Esquivando-se, Meirelles mostrou indiferença quanto ao pleito de seus mais de 10.000 funcionários ativos e inativos e quanto aos próprios rumos da instituição pela qual é responsável.

Na última sexta-feira, 18/05, a assessoria do Ministro assumiu o compromisso de agendar reunião com representantes do Sindicato dos Funcionários do Banco Central (SINAL), porém até o momento nada foi marcado.

Enquanto isso, apoiada pelo Ministro da Justiça, Tarso Genro, a Polícia Federal fechou ontem acordo com o governo para receber reajuste já a partir de setembro, o que permitiu o fim de seu movimento grevista.

Fica clara, portanto, a falta de seriedade com que as reivindicações dos funcionários do BC têm sido tratadas. O diretor de Administração do Banco, Antônio Gustavo do Vale, havia afirmado que, caso algum órgão federal recebesse aumento ainda neste ano, buscaria o mesmo tratamento para os funcionários do BC; até agora, porém, não se mobilizou.

 

SAIU NA IMPRENSA

Greve no BC atrapalha o mercado

Editorial

O Estado de S. Paulo

25/5/2007

O Banco Central (BC) deveria ter divulgado ontem o documento relativo às contas externas do mês de abril. Porém, por causa da greve na instituição, que já dura três semanas, o mercado financeiro e cambial ficou sem essa importante fonte de orientação sobre como atuar.

Poder-se-ia pensar que esse atraso na divulgação dos dados de abril do balanço de pagamentos não traz grande inconveniente, pois, no passado, essas estatísticas eram publicadas com atraso até maior.

Acontece que no passado a taxa cambial era fixa, de modo que os dados relativos a movimentação dos fluxos externos não tinham a mesma importância de hoje, quando há fortes flutuações da taxa cambial. E, além disso, o mercado cambial reage hoje a uma serie de fatores que não dependem nem estão vinculados apenas ao resultado do balanço de pagamentos.

Esse resultado tem, é claro, sua importância na medida em que fornece informações sobre as entradas e saídas de divisas em virtude dos serviços, e, mais ainda, do fluxo das rendas, como os pagamentos de royalties, o montante dos juros, as despesas e receitas do turismo, pagamento de fretes, etc. Mais importantes ainda são as estatísticas relativas aos fluxos de capitais, como empréstimos, amortizações e, especialmente, investimentos brasileiros no exterior e investimentos diretos estrangeiros, em títulos de renda fixa ou na Bolsa, que permitem avaliar não apenas a confiança dos investidores estrangeiros, como também a importância que podem ter as saídas de capital daqui a alguns meses.

Além disso, por ocasião da divulgação do balanço de pagamentos, o Banco Central costuma publicar outros dados mais atualizados, como a evolução das reservas, o volume de câmbio contratado e a posição vendida ou comprada dos bancos, essenciais para orientar os operadores do mercado cambial.

O montante das reservas, por exemplo, que permite que se tenha uma idéia exata da intervenção do BC no mercado, por causa da greve teve sua última divulgação no dia 2 de maio, quando o habitual era um atraso de apenas dois dias. Os operadores do mercado podem fazer estimativas, mas com grande margem de erros.

O mercado não pára, mas atua sem as informações que orientam as suas reações e que, na atual complexidade da vida financeira, são essenciais. Mais uma evidência da urgência de regulamentação de greves nos serviços públicos.

 

 

SINAL – Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central

Rua Peixoto Gomide, 211 – São Paulo (SP) – Cep 01409-001

Tel/Fax: 3159-0252 / e-mail: sinalsp@sinal.org.br

 

Edições Anteriores RSS