Edição 0 - 17/07/2003

Boletim n. 324, de 17/07/03

GOVERNO REJEITA O NOSSO PCS MÖNIMO:  HORA DE AGIRMOS! – Na reuniÆo do Comitˆ de Negocia‡Æo, ocorrida ontem, o governo deu um recado claro: nÆo aceita o PCS nos termos em que foi proposto – isto ‚ inaceit vel! A representante do MPOG apontou pelo menos trˆs obst culos: o sal rio de sa¡da, a questÆo da transposi‡Æo dos t‚cnicos (e respectiva tabela) e o montante de recursos or‡ament rios exigidos para implementar o PCS (segundo o representante da Fazenda, o BC nÆo fez provisÆo or‡ament ria para os gastos com o PCS – o que se contrapäe … anterior afirma‡Æo do Diretor de Administra‡Æo de que havia recursos para a sua implementa‡Æo. Por isso, para qualquer proposta que prevale‡a, os t‚cnicos daquele minist‚rio terÆo que remanejar verbas no atual or‡amento). Tendo rejeitado a proposta, o governo prop“s nova rodada de negocia‡äes para sexta-feira da pr¢xima semana (25/07), quando se disp“s a apresentar uma contra-proposta, adequando, segundo o seu entendimento, o nosso PCS …s diretrizes gerais do governo para o setor. Entendemos que essa contra-proposta ir  mutilar a proposta original aprovada em assembl‚ias por todo o funcionalismo do Banco Central. A rejei‡Æo do PCS proposto pela diretoria do Banco Central e aprovado pelo funcionalismo ‚ um verdadeiro tapa na cara de quem ainda acreditava nos arroubos de boas inten‡äes de Meirelles, Mercadante etc.  tamb‚m uma demonstra‡Æo clara do tamanho do descaso com que ‚ tratado o funcionalismo do Banco Central pelo governo e pela pr¢pria diretoria do àrgÆo. Diante desse quadro, cabe a n¢s, servidores do BC, os maiores interessados na urgente aprova‡Æo e implementa‡Æo do PCS, demonstrar a nossa insatisfa‡Æo e indigna‡Æo. A assembl‚ia de ontem, em resposta a essa verdadeira provoca‡Æo, aprovou INDICATIVO DE GREVE POR TEMPO INDETERMINADO, a partir da pr¢xima ter‡a-feira, dia 22 de julho, com assembl‚ia preparat¢ria no dia 21, …s 14h. Ficou bastante claro que temos uma decisÆo a tomar: ou lutamos todos ou amargaremos por muito mais tempo essa pol¡tica de arrocho salarial e desvaloriza‡Æo profissional, que coloca em risco at‚ mesmo a Institui‡Æo Banco Central. A hora e a oportunidade de agirmos ‚ agora – depois ser  muito tarde, inclusive por conta da amea‡a de perdermos nossos direitos previdenci rios. NÆo podemos nos esquecer tamb‚m que os servidores p£blicos das trˆs esferas estÆo, neste momento, se organizando para combater a proposta do governo que, em £ltima instƒncia, afetar  todos os servidores, com graves desdobramentos na carreira profissional e na vida pessoal e familiar de cada um. // Conselho Regional do SINAL-SP

Edições Anteriores RSS