Edição 0 - 22/07/2003

Boletim n. 327, de 22/07/03

HOJE, UNIDOS, CONTRA A REFORMA DA PREVIDÒNCIA E PELO PCS – O governo federal, apesar dos aparentes recuos, segue firme com a sua predat¢ria proposta de reforma “fiscal” da Previdˆncia. Por isto, a cada dia, mais e mais servidores – federais, estaduais e municipais – do Brasil todo, estÆo cerrando fileiras para evitar a aprova‡Æo desta pseudo-reforma, que atende somente aos reclames do FMI e do Banco Mundial, sem qualquer di logo com a sociedade e o conjunto dos servidores. Esta proposta do governo ignora qualquer discussÆo de Estado. Na verdade, ela elimina qualquer id‚ia de manuten‡Æo de um Estado de Direito, aut“nomo, presente e eficiente. Este governo esquece o papel do Estado e do servidor, que ‚ o pr¢prio Estado na ponta do balcÆo, a sua materialidade. Quem ‚ que atende a popula‡Æo? O banqueiro, o cortador de cana? NÆo!  o servidor p£blico, que tem nome, rosto, fam¡lia, que come, paga aluguel, enfim, ‚ algu‚m que tem as mesmas necessidades da popula‡Æo a quem atende. A manuten‡Æo da integralidade, com o concomitante aumento da idade m¡nima, foi a £nica vit¢ria (sic) parcial do funcionalismo. Para os servidores do Banco Central, pela nÆo explicita‡Æo da situa‡Æo, ‚ pior ainda. Afinal, pela proposta, nÆo existe servidor p£blico do Banco Central antes de 1991, ou seja, at‚ 2011 nÆo existirÆo aposentados com proventos integrais do Banco Central! Para aqueles que se decidirem pela aposentadoria proporcional, o c lculo ser  feito pela m‚dia dos sal rios a partir de julho de 1994, com redutor de 5% para cada ano antecipado pelo novo teto de idade, 60 anos para os homens e 55 para as mulheres. Ou seja, 35% de redu‡Æo! A paridade, pior ainda, ficar  sujeita … lei ordin ria. Jos‚ Geno¡no, presidente do PT, declara que a paridade ser  vinculada apenas …s verbas permanentes. Ou seja, VB. E s¢! As pensäes sofrerÆo um duro golpe com a sua redu‡Æo em 30%, acima do teto de R$1.058,00. Ser  que com a morte do provedor da fam¡lia, as despesas caem 30%, automaticamente? NÆo, na realidade, as nossas fam¡lias passarÆo por dificuldades com a nossa falta! O governo ‚ mais irredut¡vel, ainda, acerca da manuten‡Æo da cobran‡a da CPSS dos inativos. Existe previdˆncia ap¢s a morte? O INSS e o Judici rio j  estÆo em greve. As universidades federais estÆo paradas. A Receita Federal est  adotando a paralisa‡Æo de ter‡a … quinta-feira, toda semana. Os ju¡zes estaduais, trabalhistas e militares sinalizam greve por pelo menos uma semana de 5 a 12 de agosto. E os jornais mencionam greve no Banco Central. No Banco Central? Sim, vocˆ sabia? Em assembl‚ia realizada ontem, 21/7, aqueles servidores indignados com a reforma da previdˆncia supressora de direitos e a morosidade do nosso PCS, mais uma vez, em demonstra‡Æo de rep£dio, estÆo utilizando a £nica ferramenta de que dispäe o trabalhador: o seu DIREITO INALIENµVEL de fazer greve. Hoje, pela imediata aprova‡Æo e implementa‡Æo do PCS e contra os termos propostos para a reforma da Previdˆncia: GREVE NO BC/SP. O que est  em jogo ‚ o seu futuro e de sua fam¡lia. Est  em jogo tamb‚m o futuro da Institui‡Æo. A hora de lutar ‚ esta! // Conselho Regional do SINAL-SP ——————————————————————————————————————- FUNCIONµRIOS DO BC FAZEM PARALISA€ÇO EM PROTESTO · REFORMA – Ivone Portes – da Folha Online – 22/07/03 – 08h19 – Os funcion rios do Banco Central fazem hoje uma paralisa‡Æo de 24 horas em protesto … reforma da Previdˆncia. Eles reivindicam tamb‚m a implanta‡Æo de um plano de cargos e sal rios na institui‡Æo. Segundo o presidente nacional do Sinal (Sindicato Nacional dos Funcion rios do Banco Central), S‚rgio Belsito, quase todas as regionais do Banco Central j  decidiram aderir ao protesto. Somente as unidades de Bras¡lia e Belo Horizonte ainda tˆm assembl‚ia marcada a partir das 9h. O sindicato dos funcion rios do BC negocia com um comitˆ formado por representantes dos minist‚rios da Fazenda, Planejamento, da Casa Civil e do Banco Central a cria‡Æo de um plano de cargos e sal rios. De acordo com Belsito, na £ltima reuniÆo, o comitˆ nÆo aceitou a proposta do sindicato, que ‚ equiparar os ganhos dos funcion rios do BC ao de outras institui‡äes. Hoje, o sal rio m‚dio de ingresso no BC ‚ de R$ 3.700, enquanto os bancos privados pagam cerca de R$ 5.200 para carreiras semelhantes. Belsito disse que o sal rio m‚dio de ingresso na Receita Federal, Previdˆncia e Tribunal de Contas tamb‚m ‚ superior a R$ 5.000. O presidente do Sinal disse que o comitˆ dever  apresentar uma contra proposta em reuniÆo marcada para sexta-feira (25).

Edições Anteriores RSS