LEBLON

           Quando a novela “Mulheres Apaixonadas” estava no ar mostrando a qualidade de vida, a exuberância e a elegância do Leblon, toda manhã, sob a inspiração dos cafezinhos, travei animadas conversas com uma amiga/chefe sobre temas que podiam “viajar” de São Gonçalo à Berlim, fluir por hábitos de higiene, mas empacar sobre qual o melhor café, se coado ou expresso. Frustrações urbanas do sábado e domingo com a moradia na zona norte faziam com que iniciássemos muitas semanas com a mesma dúvida: – Quais seriam os três bairros do Rio ideais para se morar? O Leblon sempre obteve o primeiro lugar. A seguir a Urca e a Gávea ou vice-versa. Contudo, sempre deixamos transparecer um amor platônico por Copacabana, apesar da Princesinha do Mar (eta, apelidinho cafona!) nunca ter alcançado o terceiro lugar.Como em todo campeonato que se preza, descobrimos que havia a ameaça de rebaixamento para a Zona Sul do “S” (do subúrbio), categoria onde podem estar inseridos os locais perto da orla entre o Centro e o Leme, como Laranjeiras, Flamengo e Botafogo. Passamos então a ficar desconfiados da nossa escolha, depois de termos lido uma mesma crônica do João Ximenes Braga no GLOBO, sob o título “Leblão”, em resposta a uma reclamação de uma leitora sobre a inauguração de uma termas no bairro. Escreveu o cronista: “… todo mundo sabe que morador do Leblon é muito preocupado com a qualidade de vida do bairro. E eu nunca soube de termas atrapalharem a vida da vizinhança. É um negócio cuja alma é a discrição e o silêncio. Imagino que os moradores do Leblon, fina flor da elite, estão é horrorizados com idéia de se fazer sexo nas imediações. Já pensou?? Sexo! No Leblon! O que os vizinhos de Ipanema vão pensar?”.Na dúvida sobre as verdades e mentiras do “modus vivendis” do Leblon, no dia seguinte viramos a mesa no ranking dos bairros e elegemos Copacabana como o sonho de moradia. – “Se Copacabana alcançou a liderança e o Leblon veio para o 2º lugar, quem cai para o terceiro? A Gávea ou a Urca?” – Perguntou ela. – “E quem disse que o Leblon merece ficar no 2º lugar. Depois desse artigo, acho que deve ser rebaixado direto para a “segundona”, ou seja, para a Zona Sul do “S"! Respondi. – “Pode ser, mas logo, logo, o bairro voltará a ser o meu sonho de consumo". Disse ela. – “O meu também! – Voltei a falar – Marquei até a data da volta! Será depois da Copa de 2006, quando entrar no ar a nova novela das nove “Páginas da Vida” que, escrita pelo mesmo Manoel Carlos, certamente será ambientada no bairro. Sob a ótica dos folhetins, não é o Leblon que luta para ser o paraíso. O paraíso é que faz força para ser como o Leblon”. Depois de alguns segundos, emendei com tom de voz de quem, apesar de denotar altivez, não consegue disfarçar a inveja: "O Leblon – visto pela Tv – dá até a impressão que um dia poderá chegar aos pés de Friburgo…”.