O MUNDO PRECISA DE DOM QUIXOTE

    <!– /* Font Definitions */ @font-face {font-family:Verdana; panose-1:2 11 6 4 3 5 4 4 2 4; mso-font-charset:0; mso-generic-font-family:swiss; mso-font-pitch:variable; mso-font-signature:536871559 0 0 0 415 0;} /* Style Definitions */ p.MsoNormal, li.MsoNormal, div.MsoNormal {mso-style-parent:""; margin:0cm; margin-bottom:.0001pt; mso-pagination:widow-orphan; font-size:12.0pt; font-family:"Times New Roman"; mso-fareast-font-family:"Times New Roman";}a:link, span.MsoHyperlink {color:blue; text-decoration:underline; text-underline:single;}a:visited, span.MsoHyperlinkFollowed {color:purple; text-decoration:underline; text-underline:single;}@page Section1 {size:612.0pt 792.0pt; margin:70.85pt 3.0cm 70.85pt 3.0cm; mso-header-margin:36.0pt; mso-footer-margin:36.0pt; mso-paper-source:0;}div.Section1 {page:Section1;}–>Vendo, nesta já minha longa vida, tantas loucuras, tantos desmandos,tanta insensatez, tanta injustiça de várias ordens, uns poucos que possuemmuito e uma imensidão de seres viventes que nada têm, que sobrevivem demigalhas, que morrem à míngua de tudo, e ainda são massacrados por guerrasinsanas, ditaduras sanguinárias, concluo que caminhamos mesmo para um AdmirávelImundo Novo.  Quando hoje mais se planta o desamor nos corações, quando as rosas estãocedendo lugar aos espinhos, cada vez maiores e mais afiados, quando parece queestão querendo nos proibir até de sonhar, quando se vê todo tipo de bandalhiceà sombra de uma impunidade que nos assusta, quando os ideais pelos quais antesmuitos lutaram hoje estão a ser ridicularizados, mortos e sepultados, o que devoesperar dessa sociedade?  Quando se entrega um Prêmio Nobel de Paz a quem continua a municiarconflitos, a alimentar guerras que jamais terminarão, a apoiar ditaduras dedireita e de esquerda (vide Paquistão, vide China, entre outras) e a ter comopretexto, sempre, um terrorismo que, a meu ver, hoje é muito mais conseqüênciado que causa, que exemplo se pretende dar a um mundo desgovernado, injusto,caminhando a largos passos para o caos, para um vazio obscuro, um abismo semfim? Um mundo cujos governos mais se apóiam em mentiras, que somente selembram dos povos mais necessitados quando lhes ocorrem catástrofes, quandoentão apelam para a generosidade, para a solidariedade internacional, como quea tentar aliviar suas consciências (se é que ainda as têm) visto que em suascimeiras jamais tomaram decisões sérias, que visassem a partilhar ou mitigar osofrimento alheio, abrindo as mãos apenas para conceder-lhes esmolas.  Um mundo hipócrita, onde impera o preconceito sob todas as suas formas,onde ainda existem pessoas que se dizem cristãs, que passam a mão na cabeça dealgum pobre coitado, na rua, manifestando um penar confuso, porque não sincero,porque dissimulado, porque destilando fingimento, porque se interessa apenas emser paternalista, já que seu elitismo não admite que a grande maioriadesamparada possa um dia alcançar alto degrau de poder na sua sociedade. Aindaque honesto. Quando poucos ainda insistem em manter-se íntegros, éticos, probos,enquanto uma imensa maioria, a que manda, que governa, que dá ordens, que fazleis, que deveria julgar crimes, bandalheiras de toda ordem, já há algum tempocurou sua “cegueira” que a tornava justa e, vendo, tornou-se realmenteseletiva, devo pensar: para onde caminhamos? Talvez para uma Injustiça Soberana? Alguns dirão que o mundo sempre foi assim, que as pessoas jamais foramdiferentes, que a história se repete ciclicamente. Já li e já ouvi isso,algumas vezes.  Em resumo, jamais mudaremos o mundo para melhor? Entãodevo concluir que fui traído por meus pais, por meus professores, por todos osconselheiros que tive? Por que fazemos tantas passeatas pela paz? Por quefalamos tanto em fé e esperança? Por que pregam um mundo melhor se nãoacreditam nele? Não fiquei louco nem estou a brincar com as palavras. Aliás, por falar emloucura, creio que nosso mundo está mesmo precisando é de um batalhão de D.Quixotes. Para esclarecer, lembro que D. Quixote de La Mancha foi um personagem criado por Miguelde Cervantes. O título do livro original é “El ingenioso hidalgo Dom Quixote de