VIVER A VIDA

    <!– /* Font Definitions */ @font-face {font-family:Verdana; panose-1:2 11 6 4 3 5 4 4 2 4; mso-font-charset:0; mso-generic-font-family:swiss; mso-font-pitch:variable; mso-font-signature:536871559 0 0 0 415 0;} /* Style Definitions */ p.MsoNormal, li.MsoNormal, div.MsoNormal {mso-style-parent:""; margin:0cm; margin-bottom:.0001pt; mso-pagination:widow-orphan; font-size:12.0pt; font-family:"Times New Roman"; mso-fareast-font-family:"Times New Roman";}p {margin:0cm; margin-bottom:.0001pt; mso-pagination:widow-orphan; font-size:12.0pt; font-family:"Times New Roman"; mso-fareast-font-family:"Times New Roman";}@page Section1 {size:612.0pt 792.0pt; margin:70.85pt 3.0cm 70.85pt 3.0cm; mso-header-margin:36.0pt; mso-footer-margin:36.0pt; mso-paper-source:0;}div.Section1 {page:Section1;}–>          O antigo preconceito que possuíam oshomens em negar que assistem novelas morreu de velho. Todo mundo vê! Existemuita gente, como eu, que só assiste a das nove, hábito que cultiva desde ostempos da TV Tupi, quando não perdia nenhum capítulo de “Beto Rockfeller”.                    Nãodiscuto novelas. Mas, como bom brasileiro, entendo de futebol, política e.novela.         Assisti”Viver a Vida. A promessa era de que a história abordaria os desdobramentos docasamento de um enricado garanhão de meia idade, com a jovem modelointernacional Helena, negra, linda, de corpo escultural que, após o casamento,faz uma viagem a trabalho ao exterior com a filha do marido, também modelo, naqual, esta, sob sua responsabilidade, é vitima de um acidente e ficatetraplégica.          Sobroubeleza para Tahís Araújo ser uma nova e autêntica Helena, mas lhe faltaramelegância, glamour e o charme das demais. Além do que, casou, perdeu filho, foitraída, trocou beijos ainda casada, separou, namorou o filho do ex-esposo,engravidou…         ComHelena em “baixa”, a “discussão” passou a ser a recuperação da “enteada”tetraplégica, a Luciana. No meio da história, Luciana troca seu namorado gêmeocareta pelo irmão "irreverente". No final, casa e tem gêmeos.”Viver a Vida” não teve os ingredientes indispensáveis a um”novelão”, sequer aquela carta há anos guardada no cofre que desvenda todos ossegredos. A vilã não matou ninguém. O triângulo amoroso revelado no final foiformado por um gay e seus namorados de ambos os sexos. Nem as traições domarido com a prima e da sua mulher com um bonitão se concretizaram, desmentindoo ditado que “água de morro abaixo, fogo de morro acima e mulher quando querdar ninguém segura”.No final, cenas de premonição: A tetraplégica teve um enjôo nocafé da manhã e descobriu que estava grávida e a Helena acordou meio da noitedescobrindo que seria mãe de uma criança cujo pai é filho do seu ex-esposo, comquem juntou ou casou, não sei.Está no ar “Passione” com lindas imagens da Itália, interpretaçõesmagistrais de Fernanda Montenegro e Toni Ramos e da exuberante Maitê Proença “”dandomais do que chuchu na cerca””. Até 23° capítulo terá tido nove namorados.Indícios iniciais animadores.