SinalBH informa 655/2017

O SINAL SOB NOVA DIREÇÃO

O SINAL SOB NOVA DIREÇÃO

Tomaram posse, ontem, os novos conselheiros e Diretores do SINAL, para o biênio 2017/2019. Em Belo Horizonte, o Conselho Regional nomeou sua Diretoria Executiva e substitutos para os três cargos estatutariamente inacumuláveis: Fátima e Toninho, Presidência. José Roberto e Nardy, Diretoria Financeira. Pedro e Bete, Secretaria.

No período de 30.04 a 01.05, os representantes de BH Bete, Fátima e Mauro, participaram da reunião de posse do Conselho Nacional e escolha da nova DIREX, em Curitiba. Mauro, que declinou da pasta de Estudos Técnicos, entregou seu relatório de prestação de contas. Elogiado pela conduta e profissionalismo como titular da pasta, destacou-se pela apresentação e qualidade técnica do trabalho, cujos indicadores subsidiaram as negociações em favor da categoria, com o reconhecimento das autoridades e entidades parceiras pela autenticidade e confiabilidade das informações. À disposição dos filiados nas dependências do SINAL-BH, o volume de informações será agregado ao acervo eletrônico do Sindicato.

O CR BH agradece ao colega Mauro Cattabriga pelo elogioso esforço.

DIAP RECOMENDA MOBILIZAÇÃO PARA IMPEDIR O DESMONTE DO APARELHO DO ESTADO

Palestra de consultor da DIAP (DEPARTAMENTO INTERSINDICAL DE ASSESSORlA PARLAMENTAR) entidade que congrega mais de 900 entidades de trabalhadores públicos que atua no Congresso, enfatizou que a lógica fiscal determinou o conteúdo da reforma da previdência; pontuou o forte impacto geral das reformas e garantiu que, na data da promulgação, as novas regras não atingem quem alcançar o direito sob as regras atuais; “ninguém deve se afastar contra a vontade”, podendo permanecer em atividade o quanto quiser. Quanto as medidas restritivas da Emenda 95 (PEC do congelamento), que impõe limites de gastos do governo, pelos próximos 20 anos, baseado no ano anterior mais o IPCA, a responsabilidade do déficit da previdência é do congelamento, concluiu.

PASBC – AUMENTO DE 25 A 40% DA CONTRIBUIÇÃO?

O alerta vermelho no estudo patrocinado pelo SINAL, cujo diagnóstico é ainda mais grave no relatório Salutis, aponta o gargalo das reservas que não suportam mais do que outubro de 2018. Medidas emergenciais de socorro ao Programa, em curso, tem como meta o imediato aporte financeiro por parte do Banco. Entretanto, atuar em várias frentes por soluções definitivas, exige prioridade máxima. O horizonte? A alteração da Lei 9650, pelo Congresso. O apoio da categoria é condição essencial para amenizar o potencial aumento da contribuição, hoje em análise no BC, e estancar as possíveis perdas salariais impostas por um congelamento que ao longo dos próximos anos pode inviabilizar o programa.

O teto da contribuição do PASBC, melhores condições de uma solução interna ou uma reversão na legislação está em nossas mãos. O BC como patrocinador do programa de saúde, como nos primeiros concursos, é uma vitória possível.   Fique atento!

Defenda-se! Participe!

AUXÍLIO FUNERAL

Já está em vigor o auxilio funeral aprovado pelo SINAL-BH. O valor atual, de R$ 3.000,00, revisto anualmente a critério do Conselho Regional, é devido à família do servidor, cônjuge ou companheiro que comprove união estável. O filiado poderá obter informações a respeito diretamente no escritório, pelo telefone 2512-1668, no e-mail sinalbh@sinal.org.br, ou através do link https://portal.sinal.org.br/convenios/auxilio-funeral/.

 

Filie-se ou envie email de #sugestão para o Sinal-BH!

SinalBH informa 655 em 030517

Edições Anteriores