Edição 414 - 22/11/2004

ASSEMBLÉIA – 20ª AND – AMANHÃ, 23/11/04, ÀS 14H

ASSEMBLIA – 20¦ AND

AMANHÇ, 23/11, ·S 14 h.

Pauta: elei‡Æo de delegados para a continua‡Æo da 20¦ AND

Fato in‚dito na hist¢ria do SINAL, motivado pela complexidade dos temas propostos e profundidade das discussäes, os trabalhos da 20¦ AND foram suspensos e serÆo retomados nos dias 27 e 28 de novembro, novamente em SÆo Paulo, desta vez no HERITAGE RESIDENCE SERVICE, localizado … Rua Fernando Albuquerque, 122.

Os delegados eleitos deverÆo ser, preferencialmente, os mesmos, dados seu conhecimento pr‚vio sobre o que j  foi debatido e aprovado e sua responsabilidade no processo das discussäes. Entretanto, como alguns daqueles delegados j  se declararam impedidos de participar da continua‡Æo da AND, precisamos eleger novos delegados para substitu¡-los. Vale lembrar que o n£mero de delegados j  eleitos (78) ‚ a base de c lculo para efeito de verifica‡Æo de quorum. Para aprova‡Æo de altera‡äes no Estatuto, por exemplo, sÆo necess rios os votos de 2/3 dos delegados, ou seja, 52 votos.

Confira no portal do SINAL (www.sinal.org.br) o resultado dos trabalhos j  realizados no per¡odo de 12 a 15 de novembro.

ÿÿÿÿÿÿÿÿ At‚ agora, somente o tema REFORMA SINDICAL foi integralmente conclu¡do. Quanto aos demais temas:

ÿÿÿÿ AUTONOMIA E INDEPENDÒNCIA DO BANCO CENTRAL – foram conclu¡das todas as vota‡äes, ficando pendente somente a aprova‡Æo, pela Plen ria, do relat¢rio final apresentado pelo respectivo grupo de trabalho;

ÿÿÿÿ PCS E CAMPANHA SALARIAL – a Plen ria confirmou a validade das questäes j  aprovadas, restando discutir os seguintes itens: moderniza‡Æo do cargo de T‚cnico do Banco Central, proposta de PCS para 2005 e diretrizes para a estrat‚gia de condu‡Æo da campanha salarial.

-ÿÿÿREFORMA ESTATUTµRIA – as altera‡äes feitas at‚ agora somente terÆo validade ap¢s a conclusÆo da AND. Dentre elas, est  a retirada da contribui‡Æo sindical (mensalidade) sobre o 13ø sal rio.

///// \\

SINAL de paixÆo

Carolina Boechat Martins (*)

Na £ltima campanha salarial, o microfone trocou de mÆos no exato momento em que a palavra paixÆo foi associada … palavra greve. Greve com paixÆo nÆo cola. Ou cola? Apesar de todas as manifesta‡äes contr rias, aproximei-me do respons vel pelo "delito" e cochichei:

ÿÿÿÿÿÿÿ "Cola, sim. Eu gosto da palavra paixÆo. Rima com tesÆo e sem tesÆo nÆo h  solu‡Æo. A greve foi tirada com paixÆo e isto me lembra um livro…"

ÿÿÿÿÿÿÿ Participei da 20¦ AND e, confesso, voltei encantada. Talvez esteja sofrendo da s¡ndrome de Estocolmo num seqestro volunt rio. Candidata espontƒnea, e sem expectativas definidas, defrontei-me com uma realidade apaixonante.  cansativo? . E muito. Certamente vocˆ sentir  a bunda quadrada, a cadeira se transformar  num instrumento de tortura e vocˆ mandar  para o inferno alguns conceitos de etiqueta social: apoiar  os cotovelos na mesa na hora do almo‡o, espregui‡ar  num bocejo intermin vel, sem se preocupar em disfar‡ar com a mÆo, a boca que se abre, se abre, se abre…

ÿÿÿÿÿÿÿ Tamb‚m ‚ certo que o desespero …s vezes se instala:

ÿÿÿÿÿÿÿ "Puxa vida, o pessoal est  entrando em "looping". Este cara j  falou isso antes…"ÿÿÿÿÿÿÿ

ÿÿÿÿÿÿÿ Com o passar das horas, certas expressäes se incorporam ao seu vocabul rio: mo‡Æo, questÆo de ordem, esclarecimento, a favor ou contra? E l  estar  vocˆ segurando o bra‡o que deve permanecer levantado at‚ que algu‚m conte. H  quorum? Cadˆ o pessoal? Chama a¡ quem est  do lado de fora fumando.

ÿÿÿÿÿÿÿ Acredite, algumas vezes, l  pelas tantas, vocˆ ‚ at‚ capaz de perguntar: "o que ‚ mesmo que estÆo votando?…" Isso porque certas discussäes se estendem, espicham como chicletes, e ap¢s verificar que decididamente ser  imposs¡vel decidir o sexo dos anjos, ‚ normal mais um bocejo,ÿ a cl ssica cochilada…

ÿÿÿÿÿÿÿ Tamb‚m ‚ perfeitamente aceit vel irritar-se com algu‚m que ocupa o espa‡o de v rios corpos. Sem considerar as leis da f¡sica. E nÆo s¢ pelo tamanho… EntÆo, creia, vocˆ ser  capaz de criticar, esquecendo-se de que poderia pedir "por favor":

ÿÿÿÿÿÿÿ "Que criatura insuport vel! NÆo pode ficar sentado? Isso aqui nÆo ‚ passarela e ele caminha de c  pra l , de l  pra c , sem parar!ÿO que ser  que ele tem? T  com bicho carpinteiro? Arre ‚gua, estou agoniada!"

ÿÿÿÿÿÿÿ Se vocˆ nunca foi a uma AND, v  correndo. Deixe-se seqestrar.  muito bom participar das assembl‚ias na campanha salarial, mas esta nÆo ‚ a £nica forma de luta.  l  na AND que a base da pirƒmide estar  sendo formada. A base de seu Sindicato. A base da luta pelos seus direitos. V  e viva a deliciosa loucura que me foi dada oportunidade de participar. Afinal, foi na AND que constatei extasiada, toda feliz, de que anjo tamb‚m tem sexo e estava bem ali, sentado ao meu lado. Era quando eu mergulhava na beleza daqueles maravilhosos olhos azuis, aprisionados num rosto lindo, fazendo parte de um corpo martirizado pela talidomida:

ÿÿÿÿÿÿÿ "Gustavo, explica pra mim o que ‚ que…"

ÿÿÿÿÿÿÿ Gustavo ‚ de Porto Alegre. E se vocˆ nunca foi a uma AND porque nÆo consegue sair de seu ego¡smo, saiba que algu‚m com uma desesperadora deficiˆncia f¡sica, mas um c‚rebro extraordin rio, dedica-se, sem nenhuma queixa, com uma paixÆo admir vel, … causa que tamb‚m ‚ nossa. ÿÿÿÿÿÿÿÿ

ÿÿÿÿÿÿÿ S¡ndrome de Estocolmo. A v¡tima apaixonada pelo algoz. Eu, em SINAL de paixÆo.

(*) Carolina Boechat Martinsÿ(BC/RJ) ‚ÿformadaÿem Jornalismo e escritoraÿ(carolina.martins@bcb.gov.br)

Edições Anteriores RSS