Edição 0 - 15/03/2004

MNNP – A Nova Sigla


Os £ltimos dias foram de manifesta‡äes de insatisfa‡Æo dos servidores com a pol¡tica salarial do Presidente Lula. Vem se configurando mais uma vez um cen rio tenebroso para os servidores p£blicos federais: Perda salarial de 10 % em m‚dia, por ano. O reajuste salarial med¡ocre concedido no primeiro ano de Lula foi justificado pelas amarras do or‡amento do governo passado. Entretanto, foi com muita surpresa que os servidores receberam a nova proposta de reajuste presa a um “limite or‡ament rio” de R$ 1,5 bilhÆo, anunciada pelo secret rio de Recursos Humanos do Minist‚rio do Planejamento, S‚rgio Mendon‡a, e enviada na £ltima sexta-feria, dia 12, … Mesa Nacional de Negocia‡Æo Permanente (MNNP).



Com o R$ 1,5 bolhÆo, digo bilhÆo, o governo nos d  trˆs p¡fias op‡äes, variando de uma aumento linear de 2,67% para todos os servidores dos trˆs poderes da UniÆo at‚ nada. Isto mesmo: pela terceira op‡Æo o BC fica sem nada! Mesmo sabendo-se que s¢ a infla‡Æo te¢rica do ano passado foi de quase 10%. Incoerˆncia vergonhosa do governo dos trabalhadores, ainda mais quando se diz sem or‡amento e ao mesmo tempo o ministro Mantega admite que 30% das verbas federais vÆo pelo ralo da corrup‡Æo! NÆo acreditemos, portanto, neste LIMITE OR€AMENTµRIO!



A £ltima novidade foi a suspensÆo do aumento de 33% do vale-coxinha. Vai-se vendo por a¡ que eles querem jogar pesado. A inten‡Æo ‚ barganhar essa esmola que j  estava prometida.



O Sinal quer discutir em assembl‚ia as seguintes propostas:


Campanha Salarial – Foi pedida a cria‡Æo da mesa setorial com o Banco Central; aumento linear de 9% (reposi‡Æo) e corre‡Æo das falhas do PCS nÆo alcan‡adas na £ltima negocia‡Æo, desvinculando-se a questÆo do vale-coxinha e do Pasbc.


Pasbc – Autoriza‡Æo para entrar com a‡Æo contra o rateio do d‚ficit.



Manifesta‡äes dos servidores federais pelo Brasil



Advogados e Defensores P£blicos – Pedem aumento Salarial m‚dio de 30% (Governo j  acenou com gratifica‡äes entre 12 e 18 %). J  recusaram uma proposta de abono do governo – R$ 900 a partir de abril, mais R$ 700 em janeiro. O sal rio inicial dos advogados da UniÆo, procuradores e defensores p£blicos federais ‚ de R$ 3.700 h  10 anos. Eles reivindicam equipara‡Æo aos delegados da Pol¡cia Federal, que come‡am a carreira ganhando R$ 7.900. Amea‡am greve conjunta;


Procuradores da Fazenda, INSS e Banco Central – Pedem aumento Salarial m‚dio de 30% (Governo j  acenou com gratifica‡äes entre 12 e 18 %), al‚m de melhoria das condi‡äes de trabalho e a equipara‡Æo salarial com o Minist‚rio P£blico Federal;


T‚cnicos da Receita Federal – Paralisaram dia 10. Prometem greve a partir de abril por um reajuste salarial que eleve os seus sal rios ao mesmo n¡vel dos da Pol¡cia Federal. O piso de um t‚cnico da RF ‚ de R$ 2.400; na PF, ‚ de R$ 4.200. Querem tamb‚m a realiza‡Æo de concursos anuais at‚ o quadro atual de 6,5 mil funcion rios chegar aos 14 mil profissionais. Em 2003, foi feito um concurso p£blico para preencher 550 vagas, mas, no mesmo per¡odo, 500 t‚cnicos sa¡ram da Receita;


Auditores Fiscais da Receita Federal – Anunciam paralisa‡äes imediatas e poss¡vel greve;


Pol¡cia Federal – Greve pedindo 85,4 % de reajuste salarial. No segundo dia da greve, o ministro da Justi‡a, M rcio Thomaz Bastos, disse que o governo est  disposto a negociar um acordo para encerrar a paralisa‡Æo o mais rapidamente poss¡vel, o que elevaria os sal rios dos agentes dos atuais R$ 4.199,77 para R$ 7.788,31.



Fonte:Jornais de 10 e 11 de mar‡o de 2004 e Site da Unafisco Sindical.

Edições Anteriores RSS