Edição 0 - 16/05/2006

SINAL-SP INFORMA: Assembléia nesta quarta-feira, dia 17/05/06, às 10h

SINAL-SP INFORMA

Assembléia nesta quarta-feira, às 10h

Lembramos que a assembléia em São Paulo será realizada nesta quarta-feira, dia 17/05/06, às 10h.

Compareça! Somente uma forte mobilização garantirá o nosso reajuste e a sobrevivência do PASBC.

*****

Mobilização no dia 16/05/06, até o momento:

Brasília – Segundo informação do presidente do Sinal-DF, a adesão à greve está em torno de 65%, com possibilidade de crescimento ao longo do dia.

Curitiba – Assembléia realizada hoje, aprovou greve por tempo indeterminado, a partir de amanhã. Votação: 22 votos a favor, 4 contra e 7 abstenções.

Porto Alegre – Assembléia realizada hoje, com a presença de 34 colegas, aprovou greve por tempo indeterminado, a partir de amanhã, com reavaliações diárias. Votação: 29 votos a favor e 5 abstenções.

Rio de Janeiro – Assembléia realizada hoje. Com a presença de 181 colegas, aprovou greve por tempo indeterminado, a partir desta quarta-feira, dia 17/05/06, até a publicação da Lei ou da Medida Provisória relativa ao nosso PCS. Votação: 175 votos a favor, nenhum contra e 6 abstenções.

Salvador – Assembléia realizada hoje, com a presença de 22 colegas, aprovou greve por tempo indeterminado, a partir desta quarta-feira, dia 17/05/06. Votação: 19 votos a favor e 3 abstenções.

Belo Horizonte – Assembléia realizada hoje, com a presença de 63 colegas, transferiu para amanhã, a partir das 9h, a decisão de aderir à greve por tempo indeterminado. Os colegas presentes se comprometeram a conversar sobre o assunto com os demais colegas em seus andares.  

Recife – Em virtude do falecimento, nesta tarde, nas dependências do Mecir-Recife, do atuante colega Nelson de Albuquerque Cireno, a Assembléia foi transferida para amanhã, quarta-feira, em horário ainda a ser definido.

*****

Programação Orçamentária da União

Governo prevê PIB de R$ 2,106 trilhões e dólar a R$ 2,16 neste ano [Uol16/05/02 – 16h29]BRASÍLIA – O governo prevê uma expansão real de 4,5% do Produto Interno Bruto (PIB) em 2006 e que a soma das riquezas produzidas pelo país some, em termos nominais, R$ 2,106 trilhões. A estimativa é um dos parâmetros macroeconômicos usados na programação orçamentária para este ano. A inflação medida pelo Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA) é projetada em linha com a meta definida pelo governo, em 4,5%, e a taxa de câmbio média deve se situar em R$ 2,16.

O Ministério do Planejamento revisou para baixo o PIB nominal estimado na Lei Orçamentária de 2006, aprovada pelo Congresso no mês passado, que apontava para um resultado de R$ 2,109 trilhões. A Lei também previa uma taxa de câmbio média ligeiramente maior, em R$ 2,33.

O decreto com a programação orçamentária, divulgado há pouco, aponta que o superávit primário do Governo Central deve ficar em 2,5% do PIB ou R$ 52,6 bilhões. As estatais federais deverão economizar R$ 17,9 bilhões pra pagamento de juros da dívida, ou 0,85% do PIB, de forma que o Governo Central e estatais totalizem R$ 70,75 bilhões, ou 3,35% do PIB.

O projeto piloto de investimentos em obras de infra-estrutura deverá investir R$ 3 bilhões, equivalente a 0,14%. Tabela divulgada pelo Ministério do Planejamento aponta o abatimento dos recursos do Projeto Piloto de Investimentos (PPI) das despesas primárias do Governo Federal. Assim, o resultado primário do Governo Federal deverá situar-se em R$ 67,5 bilhões, ou 3,2% do PIB neste ano.

(Azelma Rodrigues | Valor Online)

 

Edições Anteriores RSS