Edição 0 - 29/05/2007

SINAL-SP INFORMA nº 147, de 29.05: Assembléia às 10h, dia 30.05 / O movimento em SP / Saiu na imprensa

 

 SINAL-SP INFORMA

São Paulo, 29 de maio de 2007 – nº 147

 

 

ASSEMBLÉIA NA QUARTA-FEIRA, 30/05, ÀS 10H  

Na quarta-feira, haverá assembléia às 10h, para deliberarmos sobre os rumos do movimento.

Participe!

 

O MOVIMENTO EM SÃO PAULO

A greve em São Paulo está com adesão de 84%. Com a presença de 99 colegas, conforme a lista de presença, a assembléia em São Paulo, realizada nesta terça-feira, dia 29/05, aprovou a manutenção da greve com avaliação diária. A aprovação foi por ampla maioria, com 97 votos a favor, nenhum voto contra e 2 abstenções.

Devido ao baixo número de presentes, com 90 votos a favor, 9 votos contra e nenhuma abstenção, a assembléia não se considerou apta a deliberar hoje sobre a tabela relativa à contraproposta apresentada pelos sindicalistas na Mesa de Negociação. 

Nova assembléia na quarta-feira, 30/05, às 10h.

Fotos: clique em [ 1 ] e [ 2 ]

 

SAIU NA IMPRENSA

Regulamentação de greves

O Estado SP – Fórum dos leitores, 29/5/2007

A propósito do editorial Greve no BC atrapalha o mercado (25/5, B2), o Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central – Regional São Paulo concorda com a urgência de se regulamentar a greve nos serviços públicos. Se a categoria tivesse uma data-base, como os trabalhadores da iniciativa privada, não haveria necessidade de forçar o governo a abrir as mesas de negociação.

Os funcionários do BC reconhecem que a greve, desde o dia 3 de maio, tem deixado o mercado sem dados atualizados sobre os fluxos de capital e o volume de câmbio contratado, o que demonstra o grau de importância e de especialização que a categoria possui dentro do quadro do funcionalismo federal. Os servidores do BC querem encerrar a greve, mas esperam uma sinalização do Ministério do Planejamento de que dará o mesmo tratamento que deu aos funcionários da Polícia Federal (PF), menina-dos-olhos do governo. A PF terá aumento já a partir do próximo semestre.

APARECIDO FRANCISCO DE SALES,

Presidente

São Paulo

 [[[]]]

Greve no BC

Valor Econômico, 29/5/2007

A greve dos funcionários do Banco Central, desde o último dia 3, afetou mais uma divulgação de dados econômicos. A nota que traz informações sobre nível de crédito e juros referente a abril deveria ser divulgada hoje, mas por conta da paralisação foi adiada para data ainda indefinida. Na semana passada, os servidores do BC decidiram em assembléia manter a greve.

[[[]]]

Greves se alastram

Mariana Flores – Correio Braziliense, 29/5/2007

Servidores federais de universidades juntam-se aos funcionários do Banco Central, da Cultura, do Incra, e do Ibama e cruzam os braços. Além de aumento salarial, eles reivindicam reestruturação da carreira

A concessão de um reajuste de 30% para agentes e delegados federais acirrou as paralisações entre os servidores federais. Há dois anos sem promover paralisações, os trabalhadores administrativos das universidades federais cruzaram os braços por tempo indeterminado. Das 56 instituições existentes no país, 32 sofrem desde ontem os efeitos do movimento. Na Universidade de Brasília (UnB), os alunos encontraram a biblioteca e o restaurante universitário fechados e amanhã podem parar também os funcionários do Hospital Universitário de Brasília (HUB).

Já paralisados, servidores do Banco Central e do Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária (Incra) ganharam reforços. A adesão aos movimentos é maior que na semana passada. Em assembléia ontem, os trabalhadores do Ministério da Cultura decidiram manter o protesto, que já dura 15 dias, e o pessoal do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) vai hoje ao Congresso tentar ganhar apoio dos parlamentares.

Os funcionários da UnB pedem a reestruturação da carreira. Na universidade e no HUB são 2,5 mil pessoas. Em todo o país o número de trabalhadores ativos em instituições federais chega a 151 mil. A expectativa dos organizadores é conseguir a adesão de 60% deles ainda nesta semana. Eles não têm um índice de reajuste definido, mas cobram além de um aumento salarial, novas contratações e uma maior valorização da carreira. Os salários hoje variam de R$ 700 a R$ 2,6 mil, valor máximo recebido pelos funcionários de nível superior em fim de carreira, segundo o coordenador-geral da Federação de Sindicato de Trabalhadores das Universidades Brasileiras (Fasubra), João Paulo Ribeiro. "Com esse salário não conseguimos trabalhar satisfeitos e nem segurar os concursados. Todos saem porque o mercado é muito mais competitivo", afirma.

A justificativa do governo de que não há recursos para aumentar salários neste ano não convence mais os servidores do BC, que estão há 26 dias sem trabalhar. A concessão do aumento aos policiais federais, que devem decidir hoje pelo fim do estado de greve, mostra que há recursos, na opinião dos funcionários do banco. Ontem a adesão ao movimento aumentou. As unidades de Belo Horizonte e de Porto Alegre, que estavam funcionando normalmente, também pararam.

"O governo tinha dito que não ia dar nada em 2007, mas deu para a PF. É discriminatório", afirma o presidente do Sindicato Nacional dos Funcionários do BC (Sinal), David Falcão. E eles prometem manter o movimento até que o governo concorde em dar a primeira parcela do reajuste ainda em 2007. O executivo quer pagar o aumento, que vai de 20% a 40%, a partir do ano que vem, em três parcelas – janeiro e abril de 2008 e janeiro de 2009.

Enquanto não chegam a um acordo, o BC cancelou a divulgação de notas com dados econômicos do país e acumula reclamações da população sobre os bancos com atuação no país. Já são mais de 20 mil registradas no órgão, segundo Falcão.

Os funcionários do Ministério da Cultura decidiram continuar parados para pressionar o governo a criar o plano de carreira da categoria, mesma reivindicação dos funcionários do Incra. No Congresso, os trabalhadores do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) vão tentar sensibilizar os parlamentares para que derrubem a Medida Provisória 366 que reestrutura o órgão – a insatisfação em relação às mudanças é o principal motivo que levou a categoria à greve, há 15 dias.

 

REDE CONVENIADA DE DESCONTOS

Ingressos de Cinema:

Unibanco Arteplex SP – Dispomos de convites pelo preço de R$ 9,00, com prazo de validade até 23/08/07. O convite deve ser trocado por ingresso na bilheteria dos cinemas, no Shopping Frei Caneca – Rua Frei Caneca. 569, 3º piso. Consulte aqui a programação.

Rede CinemarkRede Cinemark – Não dispomos de convites, no momento.

 

 

SINAL – Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central

Rua Peixoto Gomide, 211 – São Paulo (SP) – Cep 01409-001

Tel/Fax: 3159-0252 / e-mail: sinalsp@sinal.org.br

 

Edições Anteriores RSS