Edição 16 - 20/03/2008

Indefinição é a palavra que define o quadro em Brasília

 

Indefinição é a palavra que define o quadro em Brasília

 Sinal continua mantendo inúmeros contatos, mas cenário é preocupante 

 

O SINAL tem feito diversos contatos diariamente, no BC, Câmara, MPOG e ontem esteve na Casa Civil. Importantes resistências com relação a implantação do subsídio no BC foram vencidas, muito embora ainda existam outras e nada está garantido.

 

Conforme o Apito Brasil de ontem, em reunião que participaram Luiz Alberto dos Santos, da Casa Civil, o Diretor de Administração do BC, Anthero Meirelles e David Falcão, presidente do Sinal, o tema central discutido foi a implantação do subsídio, que inclusive já é pago no BC aos seus Procuradores.

 

Nada ficou acertado, até porque a decisão do Governo ainda será tomada, entretanto, ficou sinalizado que, em se aprovando a remuneração por subsídio para a RFB, a Casa Civil não se oporá à adoção para o BC.

 

Porém, o que temos de concreto é que as negociações com a Receita Federal, que iniciou uma forte greve, e com os Procuradores da República, também em greve, se arrastam, bloqueando o desfecho de outras negociações, dentre elas, a nossa. Enquanto isso, já se comenta a possibilidade de publicação da MP dos reajustes, talvez para a próxima semana.

 

Acendeu a luz vermelha. Temos que reforçar as articulações em Brasília e ampliar a mobilização da categoria para exigir de forma mais veemente nossos direitos.

 

Queremos o acordo assinado, complementado com a equiparação à Receita Federal, na forma de subsídio

 

Assembléia Geral Nacional

3a f. – 24.03 – 14 hs.

No hall da ADRJA

Edições Anteriores RSS