Edição 0 - 24/11/2009

SINAL-SP INFORMA nº 376, de 24.11.09: O Sinal e as centrais sindicais – VI / Saiu no sítio da UGT / Transmissão do seminário em sala com telão / Rede conveniada

 

SINAL-SP INFORMA

São Paulo, 24 de novembro de 2009 – nº  376

  Siga no Twitter as últimas notícias do Sinal-SP 

O SINAL E AS CENTRAIS SINDICAIS – VI

O que devemos considerar nas relações do Sinal com as centrais

Há pelo menos três aspectos que devem ser levados em consideração pelo funcionalismo da casa nestes tempos da Lei 11.648, de 31 de março de 2008, quando confrontamos os nossos interesses corporativos com o papel social que as centrais sindicais desempenham no nosso país:

1. As centrais têm assento assegurado por lei nos fóruns oficiais sociais de formulação de políticas públicas. A inclusão dos servidores do Bacen nesses debates produz resultados mais favoráveis do que se deles não participarmos.

2. As reivindicações pautadas pelas centrais, no interesse do conjunto dos trabalhadores, são facilitadoras de pleitos da categoria. Por exemplo, a redução geral da jornada de trabalho facilita o pleito de redução da jornada do servidor público, e o contrário dificulta. O aumento persistente do salário mínimo favorece o pleito do aumento do salário do servidor público, e a sua estagnação atrapalha.

3. A imprensa tem procurado contaminar a sociedade com a tese de que quanto menos Estado, melhor, os funcionários públicos ganham demais para fazer de menos, coisas do tipo. Essa postura contrária aos nossos interesses pode influenciar a organização dos trabalhadores, maior setor social do nosso país, criando resistências e mesmo lançando esse setor ao ataque contra os servidores públicos. O esclarecimento e a busca de pontos de interesse comuns com as centrais evita o surgimento de factóides e facilita a nossa caminhada.

Somente esses motivos já não permitiriam à direção do Sinal se furtar ao debate encomendado pela Assembleia Nacional Deliberativa do Sinal – AND. Mas há mais, extraído da nossa própria experiência.

O apoio recente de uma das centrais para que o Sinal fosse recebido no Palácio do Planalto pelo Ministro-Chefe da Secretaria-Geral da Presidência da República, Luiz Soares Dulci e sua assessoria, cumpriu papel importante, se não decisivo, para o reconhecimento definitivo dos servidores do Banco Central como Categoria Exclusiva de Estado.

Assista ao vivo ou pela TV Bacen o debate da próxima quinta-feira, dia 26. Procure esclarecer, de forma tranquila, as suas eventuais dúvidas. E decida, levando em consideração o sentido estratégico de carreira, o caminho mais adequado para a categoria trilhar.

[[]]

Enquanto se aguarda o debate, fica aqui o convite para você visitar o sítio na internet de cada uma das centrais sindicais. Hoje a sugestão é uma visita à União Geral dos Trabalhadores – UGT (*), de onde tiramos a notícia contida no quadro abaixo, dando conta da visita que dirigentes do Sinal fizeram à entidade, no último dia 19/11, para convidá-la a participar do evento.

O Sinal trabalha com os meios para você decidir o melhor a ser feito. Participe!

(*) nos boletins anteriores, as sugestões foram: CGTB, CTB, CUT e FORÇA SINDICAL

SAIU NO SÍTIO DA UGT

Dirigentes do Sindicato Nacional dos Funcionários do BC se reúnem com a UGT

23/11/2009

Negociação coletiva no serviço público e defesa dos direitos do consumidor do serviço bancário unem as duas entidades. UGT confirma participação no Seminário do SINAL, dia 26, em Brasília

Dirigentes do Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central (SINAL) se reuniram no dia 19, em São Paulo, com o presidente da União Geral dos Trabalhadores (UGT), Ricardo Patah. Entre os principais pontos em comum, esclareceram o diretor de Estudos Técnicos do SINAL, Eduardo Stalin, e o diretor de Relações Externas do SINAL-SP, Iso Sendacz, estão a luta pela ratificação da Convenção 151 da Organização Internacional do Trabalho (OIT), que regulamenta a negociação coletiva no serviço público, e a defesa dos direitos do consumidor bancário, por meio da regulamentação do artigo 192 da Constituição Federal.

Patah confirmou a presença de uma representação da UGT no seminário que o SINAL realizará na quinta-feira (26), no Edifício Sede do Banco Central, em Brasília, com a presença de todas as centrais para debater a conjuntura e as perspectivas do movimento sindical no próximo período. O evento, que será transmitido ao vivo pela TV Bacen, pretende dar elementos para que a categoria reflita sobre a importância de se filiar ou não a uma central.

DEMOCRACIA – O presidente da UGT e do Sindicato dos Comerciários de São Paulo elogiou a sensibilidade da direção do SINAL de realizar a mais ampla consulta à base, a fim de colher subsídios para adotar uma posição. “O caminho democrático é sempre a melhor das alternativas. Foi desta maneira que construímos a UGT, pautados sempre pela pluralidade e pela imparcialidade. Somos o resultado da soma da CGT, da CAT e da SDS, três centrais que se fundiram, agregando outras lideranças”, descreveu Patah, lembrando que à época, era o tesoureiro da Força Sindical. Hoje, informou, tendo como norte esta perspectiva unitária, a União Geral dos Trabalhadores é a terceira maior central sindical brasileira, com 630 sindicatos validados, 32 Federações e 2 Confederações, representando 4,5 milhões de trabalhadores.

A ratificação da Convenção 151, bandeira unitária do movimento sindical, e reafirmada na última Marcha das Centrais a Brasília, ressaltou Patah, é um entre tantos pontos de identidade com a luta dos servidores públicos, pois fortalecerá a campanha pela valorização dos serviços públicos, dando mais dignidade aos seus trabalhadores. “A partir daí teremos uma data-base, negociações e regulamentações, e diminuirão o número de greves que muitas vezes precisam ser feitas para garantir avanços”, frisou.

Eduardo Stalin destacou que uma das preocupações do SINAL é justamente esta, pois hoje é necessário fazer uma greve para abrir negociação, depois outra para realizar a negociação e ainda uma mais para fazer cumprir a negociação.

Reforçando a abordagem, Iso Sendacz lembrou que na última campanha salarial do SINAL, os funcionários do BC precisaram enfrentar 100 dias de greve para garantir melhorias. E ressaltou que o problema se estende a outras das funções chamadas “exclusivas de Estado”, como a Magistratura, a Controladoria e a Polícia Federal, daí inclusive a importância de que atuem conjuntamente, pelas particularidades que compartilham.

Stalin reiterou ainda a importância do movimento sindical se somar à luta do SINAL pela regulamentação do artigo 192. “O Banco Central tem a responsabilidade de supervisionar o sistema financeiro e ainda de reger a política econômica, o que implica na necessidade de transformarmos o BC num órgão de Estado, profundamente vinculado ao interesse da sociedade, mais do que de governo”, acrescentou.

CIDADANIA – Citando o sociólogo português Boaventura dos Santos, Patah apontou que houve um momento de quebra de paradigmas, onde o movimento sindical distanciou-se dos trabalhadores, deixou de ver o trabalhador como cidadão, o que proporcionou o aparecimento de muitas ONGs. “A UGT nasceu com esta preocupação com um sindicalismo cidadão, que aponta para o compromisso de atuar em sintonia com as necessidades do trabalhador, que vão da educação à segurança pública, do emprego e do salário ao meio ambiente”, ressaltou.

Embora acredite que o atual governo está encaminhando vários pontos corretamente, Patah avalia que os resultados da educação brasileira e o desajuste na distribuição de renda são questões que merecem muito mais atenção. “Hoje, 1% da população concentra metade do PIB e os outros 99% têm a outra metade da riqueza e toda pobreza. Esta é uma questão que precisamos lutar, juntos, para mudar”. Para fazer críticas, o presidente da UGT destaca a importância da Central ser independente e autônoma em relação aos partidos e governos, para que sua posição não apenas possa ser expressa com maior equilíbrio, como levada em conta, com seriedade.

SINTONIA – A preponderância do Ramo de Comércio e Serviços, que concentra 60% dos trabalhadores do Brasil, avalia o presidente da UGT, torna a entidade diferenciada, com um olhar mais sintonizado com a realidade do país. “Estamos sempre colhendo subsídios do conjunto das mais diversas categorias. Recentemente realizamos encontros de rurais, de trabalhadores do asseio e conservação, e assim vamos debatendo, consultando, com a ideia de que a nossa central existe para ajudar, não para interferir. Por isso acredito que há uma sintonia, uma sinergia, da UGT com as suas entidades”. Ao destacar a necessidade da independência, Patah lembrou a posição contrária ao fator previdenciário, “que denunciamos como um mecanismo de arrocho das aposentadorias que precisa ser extinto. Nos mobilizamos, pressionamos e a vitória no Congresso demonstrou que estávamos com a razão”.

“A UGT está comprometida com a defesa de atividades que são fundamentais para o desenvolvimento nacional, como é a dos servidores do Banco Central. Gosto de trabalhar assim, com afinco, com atenção às entidades, pois esta é sempre uma relação de duas mãos. Acreditamos que a vinda de uma entidade como o SINAL, com dirigentes extremamente preparados e qualificados, seria uma importante contribuição para a nossa central e um impulso a mais na nossa luta para mudar o Brasil”, concluiu Patah.

TRANSMISSÃO DO SEMINÁRIO EM SALA COM TELÃO

Na próxima quinta-feira, dia 26 de novembro, além da transmissão do seminário pela TV Bacen na própria estação de trabalho, você poderá também acompanhá-la pelo telão instalado na sala 2 do 3º andar do prédio do BC em São Paulo.

É mais uma facilidade colocada à disposição para que você participe desse importante evento.

REDE CONVENIADA DE DESCONTOS

Leve sempre consigo a carteirinha do Sinal para desfrutar dos descontos oferecidos pelas empresas conveniadas.

Na sede do SINAL/SP e na sala dos aposentados [andar térreo do prédio do BC, ala CEF] você encontra folhetos de empresas conveniadas. Sugestão de novos convênios serão sempre bem-vindas. Faça a sua!

Novo convênio:

Hotel Cabreúva ResortLocalizado na cidade de Cabreúva, a 45 minutos de São Paulo, o estabelecimento oferece desconto padrão de 20% para pagamento total na reserva, para uso em qualquer período do ano, além de cortesia diferencial em relação aos demais hóspedes de um passeio “City Tour em Cabreúva de Jipe” para cada pessoa pagante. Telefone: (0xx11) 4528-8500

[[]]

Ingressos de Cinema:

Unibanco Arteplex SP – Dispomos de convites pelo preço de R$ 9,00, com prazo de validade até 27/12/09. O convite deve ser trocado por ingresso na bilheteria dos cinemas, no Shopping Frei Caneca – Rua Frei Caneca. 569, 3º piso. Consulte aqui a programação.

Rede Cinemark – Dispomos de convites pelo preço de R$ 9,00, com prazo de validade até 31/12/09, para todos os cinemas e sessões da rede, exceto salas do Iguatemi SP, Premier Cidade Jardim e 3D. Os convites devem ser trocados por ingresso nas respectivas bilheterias. Consulte aqui a ajuda para a programação.

Encomende seus convites por telefone, até às 16h.

SINAL – Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco CentralR. Peixoto Gomide, 211 – S.Paulo SP – CEP 01409-001  /   (11) 3159-0252sinalsp@sinal.org.br  /  link para SINAL-SP: clique AQUI

Edições Anteriores RSS