Edição 0 - 31/03/2011

Para que serve o sindicalismo de teclado?

 

 


 Boletim do SINAL – RJ, de 31/03/2011

 

Para que serve o sindicalismo de teclado?


O Conselho Regional do SINAL-RJ repudia os ataques gratuitos perpetrados pelo Sr. Afonso Vitor Fleury, candidato a sucessão do SINAL-BH, pois o mesmo, em virtude da falta de argumentos e na ânsia de ganhar votos a qualquer custo, virou a sua metralhadora contra os cariocas, assim como contra outras seções regionais do SINAL. 

Ele ataca o SINAL-RJ simplesmente por este ter demonstrado espírito de unidade (assim como sete das dez seções regionais do SINAL), ao reunir em uma chapa 23 filiados, que apesar de terem visões políticas diferenciadas, preferem debater internamente de forma construtiva e não partir para a divisão e o confronto, especialidade do referido senhor.

A propósito, não reconhecemos no citado detrator, estatura política para criticar um trabalho que por duas vezes seguidas recebeu dos filiados do SINAL, em todo o pais, a mais alta pontuação em pesquisa de satisfação realizada pelo Centro de Estudos e Pesquisas em Administração, da Universidade Federal do Rio Grande do Sul.

Esse senhor, infelizmente, tem como prática desconfiar do caráter de seus pares no Banco, pois em recente publicação, a chapa da qual é o mentor afirmou com todas as letras: “… para quê mais gente do BC nas diretorias, se enfim todos serão capturados, ou já o foram há muito?!”…

Ou seja, para a sua chapa, todos os funcionários do BC se venderão quando vierem a ocupar um cargo de alta direção ou mesmo outros cargos comissionados, ao generalizar : “…Vejam que não são mais apenas os diretores, também agem assim chefes de departamento, chefes de subunidade, e agora inspetores...”, jogando lama na imagem de centenas de colegas que ocuparam e ocupam esses cargos com competência e integridade moral. 

Se houve casos de cooptação, e realmente alguns aconteceram, temos que evitá-los com leis e normas mais severas e não simplesmente jogando a culpa no nosso corpo funcional, como se ele fosse constituído na sua totalidade por "carreiristas", no mau sentido. Da forma como foi colocada a questão, levanta suspeição sobre todos nós e enfraquece a nossa imagem enquanto categoria, o que poderá trazer reflexos negativos em futuras negociações.

Provavelmente, na opinião do Sr. Afonso Fleury, os banqueiros ou os seus representantes seriam mais adequados a ocupar cargos na Diretoria do BC do que funcionários de carreira, concursados.

O SINAL-RJ tem 23 anos de lutas participando de greves, negociações e prestações de serviço, sempre tratando com igual atenção os seus filiados tanto os da ativa quanto os aposentados, diferentemente do que pensa o Sr Fleury, que, em outra nota, ridiculariza os serviços prestados pelo sindicato aos colegas aposentados, como se esses fossem filiados de segunda categoria, esquecendo que um dia estará nessa condição. Ele afirmou em sua nota: “..sindicato para aposentados tem mesmo essa cara de clube da melhor idade – importa os soldos, os contratos  quando o futuro é o passado…”

Por fim, o SINAL – RJ conclama todos os filiados a que no dia 14/04, ao exercer o seu democrático direito de voto, o façam tendo em vista que a conquista de melhores condições de trabalho e remuneração se faz com propostas claras, firmeza na ação e abertura de portas, seja pela negociação ou pela força da mobilização, e não simplesmente escrevendo longos textos, marca de uma nova e curiosa vertente: o sindicalismo de teclado.

 

Conselho Regional do SINAL-RJ

 


 Você está recebendo este e-mail por estar cadastrado nos boletins do SINAL.
– Para cancelar o envio dos boletins do SINAL,clique aqui.
– Fale conosco,clique aqui.
– 1997-2007 © SINAL Copyright Todos os Direitos Reservados.

 

Edições Anteriores RSS