Edição 27 - 27/03/2012

Nosso futuro pode ser votado hoje!

 

Nosso futuro pode ser votado hoje!

Envie e-mail para os vereadores solicitando a rejeição do Projeto de Lei Complementar que aumenta o gabarito do novo prédio do BC na Gamboa

A permanência das atividades do Banco Central no edifício da Av. Presidente Vargas corre sério risco. A vereadora Sonia Rabello (PV) divulgou há pouco em seu blog que está na pauta de HOJE da Câmara Municipal do Rio de Janeiro em 1ª votação o Projeto de Lei Complementar nº 47/2011, que privilegia apenas o Banco Central do Brasil com o aumento de gabarito de seu novo prédio que está sendo construído no Porto.

Se aprovada, essa lei dará condições para que o Banco Central dê sequencia a seu plano de TRANSFERIR TODOS OS SERVIDORES DO BANCO CENTRAL DO RIO DE JANEIRO PARA A GAMBOA, inclusive os lotados no edifício da Av. Presidente Vargas, mesmo contra o bom senso e contra o desejo de cerca de 90% dos servidores que trabalham neste prédio consultados em pesquisa feita pelo Sinal-RJ. Os argumentos contra esse aumento de gabarito são diversos. Do ponto de vista financeiro, o governo incorrerá com um gasto adicional desnecessário de mais de R$ 40 milhões para a ampliação do prédio de três para sete andares, pois o prédio da Presidente Vargas está em boas condições e já vem sendo devidamente reformado. Sem contar que esse valor é superior aos 25% do limite legal para aditivos em licitações o projeto inicial, já licitado em R$ 72 milhões. Em relação ao atendimento ao público, este será prejudicado, pois o atual prédio possui está localizado atualmente em localização privilegiada, a passos dos principais meios de transporte públicos disponíveis à população. Ademais, esse projeto, por ser dirigido a um único beneficiário (o Banco Central), descaracteriza o planejamento urbano da região, além de ferir o princípio da igualdade de todos perante a lei, conforme salientou a vereadora Sonia Rabello.

Assim, sob esse risco iminente, o Sinal-RJ CONCLAMA TODOS OS COLEGAS QUE NÃO CONCORDAM COM A TRANSFERÊNCIA DAS ATIVIDADES DO EDIFÍCIO DA PRESIDENTE VARGAS PARA A GAMBOA A ENVIAR, TÃO BREVE QUANTO POSSÍVEL, E-MAIL AOS VEREADORES DO RIO DE JANEIRO SOLICITANDO QUE VOTEM CONTRA ESSE PROJETO.

 

Copie o texto da Carta abaixo e clique aqui para enviar aos vereadores.

Exmo. Sr. Vereador,

Como servidor do Banco Central do Brasil e cidadão carioca, venho por meio dessa solicitar a V. Exª voto contrário à aprovação do PLC 47/2011, que prevê a quebra do gabarito na região do projeto Porto Maravilha apenas para o futuro prédio do Banco Central. Se aprovada, essa lei propiciará condições para que o Banco Central dê sequêcia a seu plano de transferir todos os servidores do Banco Central do Rio de Janeiro para o novo prédio na Gamboa, inclusive os lotados no edifício da Av. Presidente Vargas, mesmo contra o bom senso e contra o desejo de cerca de 90% dos servidores que trabalham neste prédio consultados em pesquisa feita pela regional do RJ do Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central.

Os argumentos contra o PLC 47/2011 são diversos. Do ponto de vista financeiro, o governo incorrerá com um gasto adicional desnecessário de mais de R$ 40 milhões para a ampliação do prédio de três para sete andares, pois o prédio da Presidente Vargas está em boas condições e já vem sendo devidamente reformado. Sem contar que esse valor é superior aos 25% do limite legal para aditivos em licitações o projeto inicial, já licitado em R$ 72 milhões. Em relação ao atendimento ao público, este será prejudicado, pois o atual prédio possui está situado atualmente em local privilegiado, a passos dos principais meios de transporte públicos disponíveis à população. Ademais, esse projeto, por ser dirigido a um único beneficiário (o Banco Central), descaracteriza o planejamento urbano da região, além de ferir o princípio da igualdade de todos perante a lei.

Esperando que V. Exª reflita a respeito desse assunto, subscrevo-me.

 

 


SINAL-RJ
: End.: Av. Presidente Vargas, 962, salas 1105 a 1111 – Rio de Janeiro – RJ – CEP: 20.071-002. Tel.: (21) 3184-3500. E-mail: sinalrj@sinal.org.br

 

Edições Anteriores RSS