Edição 110 - 09/08/2012

Servidores do BCB-Rio rejeitam aumento 0% e aguardam que Governo apresente proposta até dia 20

Greve atingiu 90% de adesão nas regionais
e foi registrada até no Financial Times
Numa demonstração de que não aceitam ficar mais dois anos aguardando um reajuste em seus salários, os servidores do BCB em todo o Brasil paralisaram suas atividades, com índices em torno de 90% nas regionais, sendo que o mais significativo foi a avaliação de que em Brasília a adesão chegou a 70%.

Durante o dia, uma Comissão de Mobilização percorreu todo o prédio no RJ para tentar sensibilizar um pequeno grupo de colegas que optaram por não participar da luta coletiva por melhorias salariais. Foram contabilizados apenas 50 colegas dentro do prédio às 11h. da manhã, o que representa cerca de 11% do quadro funcional, sendo que no MECIR cerca de 5 funcionários não participaram da greve.

Recebemos ainda o apoio do Deputado Estadual Marcelo Freixo (PSOL), 2º colocado nas pesquisas para Prefeito, que assumiu um compromisso de, caso eleito, receber os servidores do BCB na Prefeitura para tratar a transferência para a Gamboa com parâmetros diferentes dos até agora utilizados. Estiveram também presentes os vereadores Eliomar Coelho, Paulo Pinheiro e o chefe de gabinete da Vereadora Sonia Rabello, que vieram prestar solidariedade e se colocar a disposição na questão Gamboa.

 

 


Greve do BCB pelo mundo

Nossa greve teve repercussão internacional e foi registrada pelo britânico Financial Times



August 8, 2012 7:54 pm
Brazil’s central bank staff go on strike

By Joe Leahy in São Paulo

Employees at Brazil’s central bank are striking for a 23 per cent pay rise to keep pace with rising prices, even though one of the institution’s roles is to curb inflation.

The central bank staff have joined a wave of strikes among government workers to demand higher salaries, putting pressure on efforts by President Dilma Rousseff to control a swollen federal budget.

“We’re not asking for a pay rise – we just want them to restore our purchasing power,” said Aparecido Sales, head of the São Paulo branch of the central bank’s union, adding that salaries at the institution had not been raised since the middle of 2008.

 

Edições Anteriores RSS