Edição 85 - 14/03/2013

Sinal-DF solicita ao Depes representar servidores de Brasília no processo de mobilidade

Os servidores do Banco Central em Brasília com frequência questionam o Sinal-DF a respeito da mobilidade entre praças, demandando que o Sindicato tenha uma participação mais ativa nesse processo.

Com o objetivo de atender aos anseios de nossos filiados, o Sinal-DF se colocouà disposição do Depes, para auxiliar no processo de mobilidade entre praças que deve se iniciareste ano. 

Nas visitas pelos andares do Banco Central em Brasília, o Sinal-DF tem sido constantemente questionado por seus representados sobre o processo de mobilidade que deverá ser implementado no futuro próximo em virtude da constituição da Comissão Especial, que conduzirá o próximo processo de mobilidade funcional entre praças, e das inscrições já realizadas até 18 de fevereiro de 2013, conforme a Portaria n° 74.825, de 28 de janeiro de 2013. Muitos filiados e servidores gostariam de ver sua representação sindical participar e defender seus interesses nesse processo.

Brasília é a origem de ampla maioria dos servidores que requerem a mobilidade entre praças. A cidade apresenta uma condição diferenciada em relação à mobilidade. Como sede, tem recebido a maior parcela de servidores novos nos últimos concursos, com número significativo de servidores que se deslocam de seu estado natal para tomar posse na capital da República. Portanto, é mais sensível em Brasília a demanda para um possível retorno às cidades de origem, o que naturalmente leva à cobrança por apoio do Sinal-DF ao processo de mobilidade.

Mobilidade e organização de pessoal

O Sinal-DF entende que a mobilidade funcional, entre praças ou na mesma praça é processo de suma importância para a gestão de pessoas do Banco Central do Brasil. Através desse instituto, é realizada a maioria das movimentações horizontais da organização. E embora seja assunto da administração do Banco, os filiados e servidores de Brasília gostariam de ver seu Sindicato atento a esse processo.

Neste ano, o Depes recebeu 295 inscrições, das quais 239 são de analistas e 56 de técnicos. A demanda de mobilidade é maior por parte dos servidores lotados em Brasília, com o registro de 240 inscrições, sendo 215 analistas e 25 técnicos. As cidades de São Paulo (69), Rio de Janeiro (59) e Belo Horizonte (54) são as que receberam mais pedidos de servidores interessados em morar nessas capitais.

O Sinal-DF defende que regras claras e estáveis sobre processo da mobilidade da Casa ajudam no clima organizacional e promovem a atratividade dos nossos concursos. Nesse sentido, se esforçará para que o Banco Central caminhe na direção de criar um mecanismo permanente de mobilidade, onde a subjetividade seja reduzida ao mínimo necessário para que tanto o interesse da instituição como do servidor sejam alcançados.

A partir da Mobilidade, as próximas etapas devem ser a promoção de gestão do conhecimento e a formação de sucessores, com objetivo de preparar o Banco Central para as futuras alterações no quadro funcional.

O concurso precisa ser autorizado pelo MPOG, para que as vagas sejam distribuídas por diretorias. Somente após essa definição, a Comissão Especial poderá divulgar as normas para o certame. A previsão é de que um mês após o início dos trabalhos, os resultados possam ser publicados.

Por tudo isso, atento às demandas de seus filiados e dos servidores de Brasília, o Sinal-DF procurou o Depes para se colocar à disposição para participar e contribuir com os trabalhos dos concursos de mobilidade.

 

Edições Anteriores RSS