BEIRA MAR

    Assisti a duas notícias sobre atos do prefeito César Maia que são, no mínimo, estarrecedoras: uma é que – raivosamente -, cortou todos os incentivos municipais à cultura do município. E a segunda, informa que o prefeito primeiro vai estudar o decreto que institui a força tarefa no Rio de Janeiro para o combate à violência e só depois é que decidirá se vai colaborar ou não. Sobre a negativa de recursos ao desenvolvimento cultural da cidade que governa, o ato, por si só, demonstra a escuridão que iluminam as trevas dos caminhos que costuma trilhar o alcaide. E quanto à relutância de prestar seu apoio ao combate à violência, é de se relembrar que, quando da prisão ano passado do Fernandinho Beira-Mar, um microfone aberto durante os preparativos para um vídeo conferência revelou o que o pensava o prefeito do Rio sobre a prisão do bandido: "Isso é uma farsa. Beira-Mar não tem relevância. Pelo amor de Deus, isso é coisa do Garotinho”. Será que o prefeito carioca desconhece que: a)quando Beira Mar esteve fugido na Colômbia, seus interesses iam muito além do comércio de drogas e armas. Naquele país buscou o aprendizado para montar o Cartel do Rio com base e semelhança nas Farcs (Forças Armadas Revolucionárias Colombianas). b) os planos prevêem a cooptação de adolescentes, favelados ou não, para atuarem na facção: a criação de um escritório para cuidar das causas de integrantes da organização; e o custeamento de estudos para que jovens, selecionados pelo bando, garantam a aprovação em concursos para cargos públicos de detetives, delegados, promotores, juizes e outras funções importantes à associação. c) pretende, caso o Cartel floresça, promover o fim o fim das disputas entre os traficantes. Quem não concordar ou se colocar contrário às normas, será eliminado imediatamente. O esquema de fortalecimento visa também cooptar políticos para a organização. Os líderes do trafico identificarão os candidatos ideais e estes terão os nomes indicados à comunidade para receber os votos para cargos no Legislativo e Executivo. d)os recursos para as despesas viriam do controle total por parte de Beira-Mar do tráfico no Estado, hoje na casa dos 60%. e) Beira Mar utiliza no tráfico a mais moderna das tecnologias: equipamentos de GPS, sistema de telecomunicações ligado a uma rede de satélites espalhados pelo mundo, capaz de localizar em segundos, um objeto em qualquer ponto da terra. f) semanas atrás se descobriu que o mega-bandido, em semanas, transformou a outrora "intransponível" Bangu I em seu escritório particular. Desativado o esquema, verificou-se que, cinco horas depois, já havia celulares dentro da prisão novamente. O episódio não foi só a demonstração da ineficiência da segurança do presídio e a demonstração de que em que nível anda a corrupção policial. Mostrou que Fernandinho está ciente que a organização que montou é tão auto-suficiente e organizada que apenas a posse de um aparelho celular na prisão lhe garantirá total controle da situação. O prefeito carioca que, quando calado tem os seus melhores momentos e que havia resolvido exilar-se nas sombras do seu gabinete, espumou de inveja ao verificar que a criação da força tarefa – fato de relevância nacional, relacionado à sua cidade – não lhe dava a exclusividade dos holofotes. E aí, não houve jeito, foi vitimado por uma recaída da sua mais grave doença: o incrível dom de colocar-se do lado avesso da população. Isso sem contar que, no fundo,entre outras coisas eu acho mesmo que o César Maia tem é inveja do poder de organização e eficiencia demonstrada por Beira Mar.