NO REINADO DA MENTIRA

    Se a História nos ensina que o mundo, ou as sociedades, usaram e abusaram da mentira para viver, para sobreviver, para nos contar histórias tantas, é também verdade que de uns tempos para cá ainda mais se alastrou o tal Reinado da Mentira. Com “M” maiúsculo, sim, e com méritos. Tentarei explicar.No passado, mesmo mais longínquo, sabe-se que muitos homens sempre se deixaram mover por ambições várias, por sede de poder e de conquista, para invadir terras, outros reinos, se apossar da riqueza dos seus dominados, escravizar seus povos, impor suas regras ou leis e seus princípios religiosos. Em episódios nada dignificantes, a mentira esteve presente em muitas justificativas, e ali se forjaram muitos “heróis”.A colonização, mesmo de grandes nações, exibe manchas vergonhosas. Haja vista o que fizeram com seus ancestrais, seus índios, seus negros, etc. Em alguns casos tentaram apresentar como heróis alguns daqueles que participaram e/ou mesmo lideraram massacres daquelas raças. Houve, ou ainda há, quem leve para o cinema aquelas figuras apresentadas, pela mentira oficial, como autênticos… semi deuses.A Mentira, incapaz de entender e aceitar a Verdade, ou mesmo por conveniência, fosse política ou até religiosa, soube usar, muitas vezes, a força do poder para eliminar a verdade incômoda. Usou a forca, a guilhotina, a fogueira, enfim todos os meios disponíveis para subjugar a verdade que julgava ameaçar sua autoridade, seus cânones, etc.Generalizando eu diria que até nós, pobres mortais, que primamos por estar fieis à verdade, em alguns momentos já escorregamos para o lado da mentira, já nos apoiamos nela, com certeza. Por favor, não me venha dizer que não para eu não ter que o chamar de mentiroso, eu detestaria. Mentir é uma coisa, ser mentiroso, desculpe, mas é algo bem mais sério, mais grave, define um mau caráter.Algumas mentiras até que são necessárias, dependendo do mal maior que se deseja evitar, entendo isso, donde concluímos que mentir chega a ser, em determinadas situações, praticamente inevitável. Isto porém são fatos eventuais, não rotineiros.No mundo atual algumas guerras continuam se apoiando em razões ditadas pela Mentira, seja oficial, de governo, seja de algum fundo dito religioso. É claro que algumas vezes a mentira está a serviço de ambições maiores, de anseios inconfessáveis de domínio de um povo, de uma nação, ou de suas riquezas. Como se tivéssemos voltado à barbárie. As vidas que se perdem são lamentadas, porém há nisso também muitas lágrimas de crocodilo, muita hipocrisia. Lamentam, mas continuam matando.Governos de um lado, terroristas de outro, vão ateando fogo a este mundo já tão conturbado, usando a bandeira da Mentira para justificarem agressões mútuas, massacres, guerras que nunca terminam. Para eles a paz é outra mentira. A própria ONU, hoje em dia, algumas vezes mente quando parece tentar mediar algum conflito ou estabelecer regras para uma “paz duradoura”. Eles sabem que basta apenas um veto, o de uma nação forte, econômica e belicamente, com poder tal naquele Órgão, para que esta ou aquela decisão seja vetada. Fazem da paz um joguete de palavras e discursos onde também se esconde a mentira, via de regra.Em terras tupiniquins, nas campanhas eleitorais então é um festival de Mentiras e mais Mentiras, todavia sempre em nome da democracia, de novos tempos, de mudanças que nunca vêm em favor do povo que os elege. Mentem sorrindo, esbravejando, jurando, com a cara mais deslavada, nem sempre insulsa, mas posando de salvadores da pátria cujo povo fica à mercê de suas eternas promessas.Mentira é sinônimo de “fraude, impostura, falsidade”, ou seja, muito da nossa realidade atual pode também ser assim definida envolvendo vários níveis sociais. Em verdade fica difícil não elegermos alguma mentira, até porque ela disfarça bem, convence com maestria intrujona e só retira a máscara quando tem o poder nas mãos. Não pretendia fazer nenhum discurso, nenhum tratado sobre a mentira, nenhum arranjo com viés de psicologista, que não o sou, muito menos com fundamentos sociológicos, por minha incompetência para tal. Só pretendi fazer um desabafo de quem já viveu o suficiente para perceber e repudiar essa hipocrisia reinante que muitos tentam dissimular. De há muito que a Mentira maior está do lado da força, do poder, nos subjugando e nos submetendo aos seus interesses que conflitam com os nossos, que nos desprezam e nos subestimam.Parece que estamos mesmo condenados a viver o resto de nosso tempo neste Reinado da Mentira, caso uma bala perdida ou uma faca escondida não encurte a nossa validade vital. Se você crê em Deus, ore, se não, defenda-se como puder.

    COMPARTILHAR
    Matéria anteriorTERCEIRA IDADE
    Matéria seguinteVAN É CULTURA!