Edição 85 - 15/5/2019

Na Câmara, economistas criticam reforma da Previdência do governo


Durante audiência pública no auditório Nereu Ramos da Câmara dos Deputados nesta terça-feira, 14 de maio, especialistas tacharam de “falaciosa” a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 6/2019 – reforma da Previdência. O Encontro de Economistas foi promovido pela Frente Parlamentar Mista em Defesa da Previdência e apontou inúmeras fragilidades do projeto.

Paulo Lino, presidente, e Francisco Tancredi, diretor de Relações Externas do Sinal, acompanharam a atividade.

Vários debatedores questionaram o argumento de que somente com a reforma em pauta o Brasil retomará a rota do crescimento econômico. “Qualquer proposta de reforma que corta gastos, limita as transferências e aumenta impostos, é contracionista. Reduz, portanto, o crescimento econômico, no curto, médio e longo prazo. A reforma não vai gerar o crescimento esperado”, avaliou o professor do Instituto de Economia da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp), Pedro Rossi.

Críticas também às premissas utilizadas na construção da matéria. “A atual PEC 6 não propõe reformar a previdência social de forma a preservar a sua natureza como um regime de repartição, tampouco garante a sua sustentabilidade fiscal”, afirma trecho do manifesto divulgado durante a programação e endossado pelos especialistas.

Para Eduardo Moreira, a PEC6 deixa claro que o governo comete um grave equívoco ao eleger suas prioridades.  “Em nenhum lugar da Constituição diz que essa dívida financeira [a dívida pública] é mais importante que a dívida em saúde, moradia e educação que temos com cada cidadão brasileiro”, ressaltou.

Outro ponto de insatisfação é a falta de contraditório nas discussões sobre o assunto na grande imprensa. A mídia deve proporcionar uma cobertura imparcial sobre o tema da Reforma da Previdência e contemplar economistas com opiniões diferentes, o que não tem sido observado em alguns dos principais veículos de comunicação brasileiros, pontua outro trecho do manifesto.

Vídeo

A destruição do pilar solidário da Previdência e a retirada de direitos previdenciários da Carta Magna são temas do novo vídeo produzido pela Frente. A imposição de mais tempo de trabalho, aliado a aposentadorias mais baixas, também é alvo de denúncia na produção, que já circula pelas redes sociais.

Assista abaixo:

Edições Anteriores