Edição 63 - 12/09/2005

A responsabilidade pela apresentação de uma proposta aceitável está com o Banco

Após uma ampla análise da conjuntura atual, dos sinais dados pelo governo até agora e das possibilidades de negociação, a avaliação do SINAL-RJ é a de que as perspectivas para a próxima reunião entre sindicatos e governo, agendada inicialmente para 14.9.2005, são ruins.

Tal avaliação do SINAL-RJ é sustentada pelos seguintes argumentos:

1.Afirmações dadas no dia 31 de agosto pelo próprio governo, na última reunião, foram solenemente descumpridas, como a promessa de que no dia 1º de setembro haveria uma resposta sobre a questão dos dias parados;

2.Estudos técnicos feitos pelo SINAL (divulgados no Apito Brasil de 8 de setembro) demonstraram que propostas com base no paradigma da Receita Federal podem representar aumentos bastante reduzidos;

3.Vários cálculos feitos sobre a questão da paridade no PASBC demonstraram que pode estar embutido na proposta do governo um aumento das nossas contribuições entre 6% e 17% (nas hipóteses menos pessimistas).

Para o SINAL-RJ, o único ponto que inspira otimismo é a capacidade de mobilização dos servidores do BC. Em agosto de 2005, foram realizadas duas paralisações com mais de 70% de adesão em nível nacional. Não há dúvidas de que, se o governo não apresentar uma proposta decente, o funcionalismo voltará a se mobilizar com força total!
 

SINAL-RJ
 

Edições Anteriores RSS