Edição 20 - 10/04/2007

A PACIÊNCIA ACABOU!

Sem resposta de Meirelles, funcionalismo inicia amanhã paralisação em todo o Brasil.

Desde junho de 2006 – quando sairam as MPs aumentando em até 40% os salários de categorias equivalentes, o funcionalismo do Bacen aguardou uma resposta para efetivar a sua recomposição salarial.

Fomos pacientes (até demais) por longos dez meses, aguardando uma resposta que até hoje não veio.

Além do reconhecimento "da justeza" de nosso pleito, nada de concreto foi encaminhado pelo presidente Meirelles e sua diretoria.

A paciência acabou. De forma unânime, todas as regionais decidiram entrar em greve nessa quarta-feira, motivada, principalmente, pela falta de compromisso da direção do Bacen para com o seu corpo de funcionários.
Chega de Omissão
Nossa greve tem um responsável e seu nome é Meirelles.

Nesses dez meses de espera, o funcionalismo do Bacen só ouviu promessas vazias sobre a recomposição salarial.

Foram mais de 10 encontros com os Diretores de Administração – Antônio Fleury e Gustavo Matos – com o Secretário de RH do MPOG, Sérgio Mendonça, com o Presidente do BC, Henrique Meirelles, com o Ministro do Planejamento, Paulo Bernardo. Nada adiantou. Nem o "misterioso" estudo do DEPES sobre novos patamares foi-nos apresentado. Nos tratam como funcionários de 3a. categoria.

Se recorremos a greve é porque não recebemos do presidente Meirelles o devido respeito que as categorias contempladas receberam de suas direções.

Sentimo-nos órfãos e entregues a própria sorte!

Edições Anteriores RSS