Edição 31 - 24/04/2007

DETERMINADOS NA LUTA PELA IMEDIATA RECOMPOSIÇÃO, SERVIDORES AGUARDAM UMA ATITUDE DA DIRETORIA DO BC.

Atentos aos acontecimentos e demonstrando firme determinação de não aceitar qualquer proposta colocada em mesa e nem protelações, os servidores do BC aguardam com grande expectativa o dia 25, ocasião em que será demonstrada a verdadeira disposição do governo em cumprir a sua parte no acordo. Não é necessário relembrar que experiências anteriores macularam a sua imagem.

Até lá, para que não se depare com uma proposta de recomposição salarial rebaixada e medíocre , o funcionalismo espera que , desta vez, a diretoria do BC, capitaneada pelo presidente Meirelles entre em campo, preventivamente, para buscar apoio político e orçamentário para que se tenha em mesa uma proposta de recomposição digna de quem exerce as funções e tem as responsabilidades de uma "autoridade monetária".

Assim, espera o funcionalismo não acumular mais uma decepção com a diretoria do BC, aguardando dela a mesma postura firme de envolvimento que dirigentes de outros órgãos demonstraram na defesa da manutenção do poder de compra dos salários de seus servidores. Postura diferenciada poderá trazer de vez, o descrédito do funcionalismo para com a instituição BANCO CENTRAL e o desrespeito para com toda a sua Diretoria Colegiada.

RELEMBRANDO OS FATOS

Como todos sabem, não fomos contemplados, no primeiro momento, com o mesmo reajuste dado às demais categorias, visto que nossa MP já tramitava no Congresso quando o governo resolveu modificar sua política de reajustes para os servidores públicos.

Assim, ficamos credores do Governo, não só pelo seu compromisso assumido em mesa de negociação – de que a Receita Federal seria nosso paradigma em termos salariais – como também pelo fato concreto de as demais categorias (Ciclo de Gestão, CVM, Susep, etc.) já terem sido contempladas com o mesmo índice da RF (35%, aproximadamente), embora parte escalonada para os anos de 2007, 2008 e 2009 (4% em cada ano).

O fato é que não podemos continuar a receber o tratamento salarial de servidores de "terceira categoria". O justíssimo acerto, para nós do Bacen, que não pôde ser incluído em emenda na MP 295 está prometido, pelo governo, para janeiro/2007 quando findou a restrição da Lei eleitoral.

ASSEMBLÉIA

HOJE – 24/4 – 14h – SAGUÃO DA ADRJA

Pauta:

1 – Campanha Salarial

2 – Decisão sobre os rumos do movimento

Edições Anteriores RSS