Edição 23 - 18/04/2008

Dia 24.4 (5ªf.) temos Assembléia

Venha tirar suas dúvidas. Vamos atualizar as informações, conversar sobre os desdobramentos do quadro atual e construir um Calendário de Mobilizações. Faça suas perguntas ou encaminhe por escrito.

Reunião em BH
Ocorreu hoje, 6a. feira, às 10h, um encontro do Presidente do SINAL, David Falcão, o Diretor de Administração do BC, Anthero Meirelles, com o funcionalismo de BH. Assim que estiver disponível, informaremos o conteúdo da reunião.

CGU aprova assembléia para a próxima terça-feira 
Reunidos na manhã de ontem, 150 analistas e técnicos de Finanças e Controle da Controladoria-Geral da União (CGU) em Brasília aprovaram – por maioria de votos – a realização de assembléia da categoria na próxima terça-feira, 22 de abril. O movimento terá início às 9h. Os servidores da CGU aguardam que o governo receba a Direção Nacional da UNACON para dar continuidade às negociações referentes à campanha salarial.

Juiz reconsidera sua decisão em 24 horas
O ministro Napoleão Nunes Maia Filho, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), que anteontem havia concedido liminar contra o desconto dos dias em greve dos funcionários da Receita Federal, reconsiderou ontem sua decisão e indeferiu o pedido de liminar. O que teria acontecido nessas 24 horas?

Governo estuda aumento de 16% para militares, retroativo a janeiro/08
(Fonte: Correio Braziliense)
A proposta técnica de reajuste para os salários dos militares que será submetida a uma decisão final do presidente Luiz Inácio Lula da Silva prevê reajuste médio de 16% para o soldo das Forças Armadas. Segundo fontes do governo, o percentual deve ser concedido em três parcelas. A primeira, de 8%, será aplicada sobre os salários de janeiro. A segunda, de 4%, deve incidir sobre os vencimentos de julho ou agosto e uma última, novamente de 4%, sobre o soldo de dezembro. O anúncio oficial do reajuste dos militares pode sair a qualquer momento e deverá ser encaminhado ao Congresso por medida provisória.

 

Assembléia – 24.4 – 5ªf. – 14h30m – ADRJA
Acordo já e equiparação com a
Receita Federal, na forma de subsídio.

Edições Anteriores RSS