Edição 38 - 05/08/2008

Aproveitando a oportunidade……..

Aproveitando a presença hoje do Presidente Meirelles no prédio da ADRJA, o Apito Carioca relembra em poucas linhas a "via-crucis" do funcionalismo do Bacen, em busca do reconhecimento do destacado papel que ocupa no desempenho da economia nacional.

Depois de termos sido preteridos no final de 2006, quando recebemos um reajuste na casa de 10%, enquanto categorias congêneres fizeram juz a índices na casa do 35%, ampliando ainda mais o fosso que nos separava delas, obtivemos, em agosto de 2007, com muito custo, e longos 42 dias de greve, a instauração de uma Mesa e o reinício da negociação que nos levou a um acordo assinado que teria início em dez.07. Aí veio a história da CPMF e todo mundo sabe o que aconteceu.

Iniciou-se um exaustivo ciclo de negociações (esse Governo adora "negociar") no qual tivemos que contar, basicamente, com nossas próprias forças, apesar de termos solicitado repetidas vezes o empenho da alta direção do BC, particularmente da sua Presidência, em defesa da nossa instituição, assim como fizeram, publicamente, as direções da Receita Federal e do Tesouro Nacional. Assim, chegamos a um novo acordo, assinado em 02.07.08, e que até hoje não saiu do papel.

Ou seja, Presidente, continuamos na mesma situação de 2006. Na verdade, estamos bem pior do que antes.

Pois é, Presidente Meirelles, fizemos esse breve retrospecto para demonstrar que continuamos aguardando o seu "momento oportuno" e o seu empenho para que nossa MP, que já está concluída há mais de 30 dias, seja resgatada em seu cativeiro na Casa Civil, onde se encontra refém da edição de uma outra MP, em função de uma equivocada decisão de Governo, que não teve esse mesmo zelo ao editar a MP da Pesca, que trouxe na rede, centenas de novas comissões e aumentou a resistência do Congresso quanto a esse instrumento.

A demora da edição da nossa MP surpreende até os mais reconhecidamente pessimistas.

Presidente, desejamos sucesso ao evento que V.Exa hoje preside – "Grau de Investimento – Um novo ciclo para o Brasil" -, porém, lembramos que a paciência dos funcionários está prestes a se esgotar, e que o "grau de desanimo" que nos atinge só pode ser revertido com um investimento no principal responsável pela eficiência da nossa economia, o funcionalismo do Banco Central do Brasil.

Esperamos, Presidente Meirelles, gestões urgentes para que nossa MP seja liberada o mais rápido possível, pois já estamos realizando diversas assembléias em todo o país e a situação pode passar, rapidamente, do desânimo funcional para uma atitude de desespero, empurrada pela inconseqüência governamental.

Exigimos a imediata edição da nossa MP, antes que o surgimento de algum "fato novo", a recolha indefinidamente para o fundo da gaveta.

Sindicato Nacional dos Funcionários do Banco Central do Brasil
Conselho Regional do SINAL-RJ

Edições Anteriores RSS