Edição 22 - 24/08/2011

Assembleia aprova propostas para avançar a Campanha Salarial

 

 

Assembleia aprova propostas para avançar a Campanha Salarial

Assembleia realizada na terça-feira, 23, no auditório menor do Bacen/RJ, discutiu a correlação de forças servidores-governo para dar início à Campanha Salarial.

Os temas convergiram para o fato do poder executivo recusar, de antemão, discutir elevação salarial com o argumento de corte de gastos por conta da crise externa. A direção do Sinal-RJ acredita na possibilidade de alternativas, como a de união com outras entidades de servidores, para garantir, pelo menos, reposição de 14,7% na Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO) relativa a 2012.

Os servidores e conselheiros sindicais alertaram que o governo pode estar equivocado ao adotar medidas de arrocho, de contenção de crédito, para conter uma eventual crise e que correntes de pensamento econômico apontam para o aquecimento do mercado interno como forma de fazer frente a essa crise, como o incrementado pelo governo anterior. Além disso, a assembleia lembrou que desde 2007 não há aumento de salários para o funcionalismo. Entre 2008 e 2010, o BC quitou três parcelas do acordo de reajuste, firmado em 2007.

Propostas aprovadas:

– Organização de palestra/debate  “Saídas para a crise”, com análise do atual cenário econômico;

– Utilização de espaços externos do Bacen para colocação de faixas alusivas à campanha salarial (a ser levada ao Conselho Nacional do Sindicato).

O presidente João Marcus comunicou a nova agenda das entidades representativas do Ciclo de Gestão e do Núcleo Financeiro com o Ministério de Orçamento e Gestão (MPOG), marcada para sexta-feira, 26, às 10h.   

Questão Gamboa

Na assembleia, foi comunicado o ofício encaminhado na segunda-feira, 22, ao Diretor de Administração do Bacen, Altamir Lopes, solicitando o início das conversações com os servidores do prédio da ADRJA.

Foi lembrada a contradição entre o enxugamento de gastos por parte do governo federal e o custo para elevar mais quatro andares no prédio da Gamboa, enquanto temos o atual prédio da Presidente Vargas, que vem recebendo melhorias como estações de trabalho e elevadores novos, reforma dos dois auditórios, modernização do BB e previsão de novo sistema de ar condicionado.

A assembleia cobrou transparência do Bacen com os servidores do prédio da ADRJA, ainda não convencidos da necessidade de mudança. Foi ressalvada a importância do novo prédio para o MECIR, em função das péssimas instalações do edifício atual, tombado pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan). 

Foi aprovada proposta de ampliação da comissão formada anteriormente pela diretoria de QVT para discussão da Questão Gamboa. O objetivo é compor a comissão com representantes de vários departamentos do Bacen/RJ.        

 

Edições Anteriores RSS