Edição 86 - 24/09/2013

4 de setembro em Brasília e desdobramentos

Com o anúncio dos cortes orçamentários, a Seção Regional Brasília do Sinal publicou informativo repudiando a irracionalidade dos cortes, e convocou assembleia para avaliação e deliberação do passos para o Sindicato. Com 235 assinaturas na lista de presença, foram aprovadas quatro propostas do Conselho Regional de Brasília, formuladas a partir de conversas prévias com servidores da Sede.

O cumprimento de todas as deliberações listadas abaixo está descrito neste Sinal Aberto de 24 de setembro de 2013 e foi extraído da ata:

1. Usar a Lei de Acesso à Informação para conhecer o valor de cada corte – aprovada por unanimidade dos presentes;

2. Publicar Carta Aberta à Direção e ao Presidente do Banco Central, solicitando a busca de outras soluções e contendo, na argumentação, as assertivas:

“Não se faz ajuste fiscal em quatro meses”;

“Não se faz ajuste fiscal restrito a apenas ao Banco Central, se for para fazer que seja em toda a União”;

“Não se faz ajuste fiscal comprometendo o trabalho da instituição”.

Ressalte-se que durante o encaminhamento da proposta, de autoria do ex-presidente José Ricardo, o colega Marcelo Araújo pediu que fossem feitas alterações na proposta. O conteúdo de sua fala cabe registrar:

”Lembrando a todos o Zé Ricardo: ‘ajuste fiscal é necessário’. Então, se algum ajuste é necessário, tem que ser feito. Eu acho desnecessária colocação de que tivesse que ser feito desde 2010. Fazer o ajuste fiscal, mas fazer o ajuste fiscal racional”.

Com o acatamento pelo proponente, seguiu-se a votação.

A proposta foi aprovada com quase a unanimidade dos presentes, contados 1 voto contrário e 1 abstenção.

3. Propor ao Banco Central a redução da jornada presencial complementada com home-office, de forma a reduzir o consumo de energia e de possibilitar (com as linhas de Internet residenciais) o acesso a informações relevantes para o trabalho – aprovada por ampla maioria, com 6 votos contrários e 6 abstenções.

4. Propor ao Banco Central que trabalhe pelo remanejamento dos recursos previstos para a construção de andares adicionais no edifício da Gamboa para as rubricas onde estão ocorrendo os cortes orçamentários – aprovada por clara, porém pequena maioria e com significativas abstenções. Os votos não foram contados.

Digno de nota o discurso do ex-Presidente Regional José Ricardo, que ao defender que valeria a pena um reflexão para descobrir caminhos que alterassem a história que seria contada a partir de setembro, lembrou sua origem profissional na área econômica do Banco Central e afirmou que “todos nós que trabalhamos na área econômica sabemos da importância do cuidado com os gastos públicos, sabemos da importância de se fazer cortes muitas vezes, de se fazer ajustes fiscais para poder facilitar a política monetária e permitir taxas de juros mais baixas, que é o interesse de toda sociedade e eu tenho certeza de que é o interesse de todo servidor do Banco Central”, mas esclareceu que referia-se a um “ ajuste fiscal, sério, planejado, de longo prazo”.

Na opinião do ex-presidente regional, cuja fala foi muito aplaudida ao final, nosso País está pisando do acelerador dos gastos públicos desde 2010 e o reflexo disso seria o aumento da inflação, o aumento das taxas de juros de longo prazo e a perda de credibilidade do País. O colega ainda lembrou que esta Casa faz política monetária e não política fiscal e que não faz sentido desmontar a estrutura do Banco Central para dizer que está sendo feita política fiscal.

Finalmente, José Ricardo trouxe para assembleia as palavras do Presidente Nacional, Daro Piffer, de que ao se economizar 23% do orçamento anual em quatro meses, o que se está fazendo, na prática, é cortar 70% do orçamento do último quadrimestre do ano.

Após a assembleia, quanto a possibilidade de ações coordenadas nacionalmente, o Presidente Nacional Daro Pifffer declarou “O Sinal é um sindicato só, mas cada regional é independente. Se a assembleia não é nacional, mas o conjunto das assembleias das regionais decidem para uma única direção, a Nacional, como conjunto das regionais, tomará as medidas cabíveis neste sentido, apontado pelas regionais. “

Para saber mais sobre os cortes, consequências e reações do Sindicato, recomendamos a leitura dos Apito Brasil, Apito Carioca, Boca Paulista e Sinal-BH Informa. O assunto foi debatido na reunião da Diretoria Executiva Nacional realizada em Fortaleza, no período de 5 e 6/9, tendo o Sinal criado um endereço específico para manifestações sobre os cortes orçamentários realizado.

Edições Anteriores