Edição 28 – 13/2/2020

AGN indica manutenção da luta


Em Assembleia Geral Nacional (AGN) nesta quarta-feira, 12 de fevereiro, servidores do Banco Central em todo o país discutiram temas de interesse da categoria, com foco nas matérias em pauta no Congresso. Destaque para a escalada de precarização do serviço público – que passa pelas Propostas de Emenda à Constituição (PEC) 186, 187 e 188/2019, bem como a reforma administrativa, que ainda será apresentada – e para a autonomia do BC.

A atividade deu início à construção de uma frente de luta, em linha com o que têm feito outras carreiras do funcionalismo, no sentido de recrudescer a mobilização nos próximos meses. As sucessivas perdas remuneratórias, que podem ser agravadas, caso se aprove a PEC 186 e a PEC 188 nos termos atuais, a desvalorização das carreiras da Autarquia, ameaçadas pela reforma administrativa, e a preocupação de que o projeto de autonomia do órgão contemple também atribuições e prerrogativas dos servidores estiveram no centro dos debates.

Foi definida a continuidade das ações, com integração ao Dia Nacional de Luta em Defesa do Serviço Público, marcado para 18 de março.

Edições Anteriores