Edição 023 - 30/03/2020

DIGA NÃO A NOVOS ATAQUES AOS SERVIDORES PÚBLICOS!

É outro patamar!!!

(Bruno Henrique, jogador de futebol e economista formado em Harvard na turma do governador Wilson Witzel)

Lamentamos, mas não vamos falar de futebol, até porque durante um bom tempo não haverá nada para falar neste campo.

Há coisas mais urgentes para falar, como demonstra a charge acima.

O relativo consenso entre os economistas, embora fosse óbvio desde o primeiro minuto, de que situações extraordinárias exigem medidas extraordinárias, deixou ainda mais isolado o atônito ministro Paulo Guedes.

No novo mundo econômico que está sendo criado pela passagem do Coronavírus, o discurso neoliberal está passando da estante de economia para a de ficção ou mesmo de terror.

Estado e economia precisarão criar um cordão umbilical para que esta última sobreviva.

Isto não é desejo ou lamento. É a constatação de uma realidade que não nos deixará tão cedo.

Na campanha presidencial americana de 1992, James Carville, então assessor da campanha de Bill Clinton, criou a frase “É a economia, estúpido!”.

O slogan, que adornava o Q.G. da campanha, captou o espírito do seu tempo.

Tempos de recessão nos Estados Unidos.

O desespero de Donald Trump e de seus aduladores mundo afora (Brasil aí incluído) é que seu mundo caiu.

A recessão é inevitável e eles nada terão a apresentar à sociedade a não ser o ridículo desfile de ideias obtusas que rolam cotidianamente pelas redes sociais.

É muito pouco quando a crise bate no bolso, ou pior ainda, no estômago dos eleitores.

No mundo político, quem não consegue reciclar ideias, morre.

A Câmara dos Depurados  (11% de popularidade, segundo Pesquisa  XP Popularidade, de Janeiro-2020) imediatamente observou a mudança de ventos.

Tudo o que era aprovado com o rótulo de ”reformas”, agora é rotulado como “combate ao Coronavírus”.

Não demorará muito para que ONG’s e CNPJ’s por demais conhecidos dos parlamentares do Centrão mudem de razão social.

Em um momento como esse, os Sindicatos não podem baixar a guarda.

A desculpa dos reflexos negativos da Pandemia de Coronavírus sobre a economia deve reacender logo adiante o discurso autoritário para a realização de mais retaliações contra os Servidores Públicos.

Esse, como sabemos, é um dos motes preferidos de Rodrigo Maia, presidente da Câmara dos Deputados.

Ele tem agenda própria e procura incessantemente ocupar os espaços à medida que Paulo Guedes vai desaparecendo.

CAMPANHA SINAL-RJ DE COMBATE AO CORONAVÍRUS

FIQUE EM CASA!

CURAR

E as pessoas ficaram em casa

E leram livros e ouviram

E descansaram e se exercitaram

E fizeram arte e brincaram

E aprenderam novas maneiras de ser

E pararam

E ouviram fundo

Alguém meditou

Alguém orou

Alguém dançou

Alguém conheceu sua sombra

E as pessoas começaram a pensar de forma diferente

E pessoas se curaram

E na ausência de pessoas que viviam de maneiras ignorantes,

Perigosas, sem sentido e sem coração,

Até a Terra começou a se curar

E quando o perigo terminou

E as pessoas se encontraram

Lamentaram pelas pessoas mortas

E fizeram novas escolhas

E sonharam com novas visões

E criaram novos modos de vida

E curaram a Terra completamente.

Kathleen O’Meara. (1839-1888). 
O poema foi escrito em 1869.

Papa Francisco – Homilia da Benção URBI ET ORBI Extraordinária (27/03/2020)

Informes PASBC:
Mudanças no atendimento presencial do Depes (Ambulatório, Direto ao Ponto e PASBC)
Cobertura do exame pelo PASBC 
Credenciados para realização do exame pelo PASBC

ATENDIMENTO DO SINAL-RJ DURANTE A QUARENTENA

Central Telefônica – Sede (21) 3184-3500 (siga-me) Obs.: Ao ligar para a central a sua ligação será encaminhada para um dos funcionários do Sinal. Por favor, aguarde o direcionamento. Após o sinal de chamada o telefone ficará mudo, mas logo você será atendido. Não desligue!

Recepção: Jenilson (21) 98338-7621

Atendimento ao Filiado: Erika (21) 98871-0505

Secretaria: Marcelly (21) 98303-4869

Financeiro: Rose (21) 99725-4424

Presidente Regional: Sergio Belsito (21) 98124-1330

 

Edições Anteriores