Edição 43 - 15/08/2005

5 perguntas (e respostas) sobre a mobilização!

1. Por que faremos uma paralisação de 24 horas no dia 18 de agosto?

R. Porque, até o presente momento, o governo federal não abriu as negociações com os servidores do BC. Como já fizemos assemble-atos e paralisações parciais, e estes protestos foram insuficientes para convencer o governo a negociar, só nos restou a alternativa da ampliação da paralisação.

2. Todas as regionais (inclusive Brasília) pararão no dia 18 de agosto?

R. Sim, todas as 10 representações regionais estão trabalhando para construirmos uma forte mobilização de 24 horas no dia 18 de agosto. Inclusive Brasília, que aprovou a paralisação em assembléia com mais de 200 participantes.

3. A nossa paralisação é política? É anti-PT?

R. Não. Não estamos misturando política com as questões de salários, de benefícios e de condições de trabalho do BC (estas, sim, as mais importantes para o SINAL). A nossa paralisação não é nem contra e muito menos a favor do PT. A estratégia mais correta para o momento é a nossa luta ser focada “em favor da nossa pauta salarial”.

4. A crise política pela qual o governo atravessa nos ajuda ou nos atrapalha?

R. A crise nos ajuda, pois, com ela, o governo não está forte o suficiente para se impor contra os servidores com sua truculência habitual e/ou para jogar a mídia contra os grevistas.

5. Há chances de conseguirmos alguma coisa no meio de toda essa crise?

R. Sim, há chances. Algumas categorias, como os servidores da Cultura, por exemplo, conseguiram negociar em greve com o governo e chegaram a acordos minimamente satisfatórios. Todavia, é importante ressaltar que só com uma mobilização muito forte poderemos transformar as nossas chances em resultados concretos.

SINAL-RJ

Edições Anteriores RSS