Edição 54 - 22/05/2007

Ainda tem jogo

Com o resultado da reunião de ontem da PF, dá para perceber que uma possível folga nas negociações pode residir numa antecipação de parcelas.

A estratégia palaciana, dependendo do nosso grau de mobilização, aponta para isso, desde que não se extrapole o ano previsto originalmente.

Ou seja, pode, de julho para abril (nosso caso na 5ª f. passada), pode, de julho para março (caso da PF ontem), e, quem sabe? pode de 3 para 2 parcelas, desde que dentro dos orçamentos previstos.

Com nossa mobilização sustentamos um contraponto na negociação – a exigência de parcela em 2007. Isso foi correto e deu resultados, fazendo com que o Governo recuasse em 3 meses sua proposta original (2a.parcela).

Mas, como toda negociação é um processo dinâmico, entendemos que temos que alterar o nosso plano de negociação para conseguir avançar mais.

Esse é o caminho das pedras. Manter a greve, tentar reabrir ainda hoje as tratativas e obter alguma forma de compensação/antecipação, em troca de uma possível aceitação da proposta para jan/2008.

Não é porque o governo disse, na 5a. p.p,  que as negociações chegaram ao seu final, que nós temos que "arriar as bandeiras".  Quando saiu a tabela (25 de abril), o Diretor Gustavo "jurou de pé junto' que eles tinham queimado etapas e era a proposta final. Não acreditamos e fomos a luta. Ainda bem.

O governo, pressionado com a possibilidade de greve na PF, quer nos fazer encerrar o quanto antes o nosso movimento. O quanto ele estará disposto a avançar na sua proposta para conseguir isso? Não sabemos, mas vale a pena pagar para ver.

Nosso prazo está se esgotando e temos que sair com o melhor acordo possível para toda a categoria.

Ainda tem jogo.

                                       Conselho Regional SINAL RJ

Edições Anteriores RSS