Edição 0 - 16/09/2009

SINAL-RJ solicita esclarecimentos ao Diretor de Administração, Anthero Meirelles, e ao Chefe do DEPES, José Dattoli (parte1)

 

Diretores do SINAL-RJ, João Marcus e Sergio Belsito fazem perguntas aos representantes do DEPES e DIRAD

Ocorreu na 2a. feira, 14.09, no novo auditório do 24º andar,  uma reunião com a participação do Diretor de Administração, Anthero Meirelles; do Chefe do DEPES, José Clóvis Dattoli; de  Nilvanete Costa, Chefe Adjunta do DEPES; e do Chefe do DIASP, Eduardo Paula Rodrigues. 

Após uma apresentação das metas do DEPES para 2009, realizada pelo Chefe do DEPES, José Clóvis Dattoli, a palavra foi franqueada aos presentes para perguntas.

Infelizmente, o Diretor Anthero informou que tinha um outro compromisso e ficou por pouco tempo na reunião, privando o funcionalismo carioca de importantes  esclarecimentos. 

O SINAL se fez presente por vários integrantes de seu Conselho Regional, que solicitaram esclarecimentos em assuntos de interesse geral.  

A primeira pergunta do SINAL tratou da desobediência ao regulamento do PASBC por parte do Diretor Anthero, ao não levar em consideração a mani-festação do Comitê Gestor (CG), responsável pela aprovação das políticas de gestão do PASBC (Art. 44), com relação as propostas de estrutura do plano.  

Ocorre que os membros do CG eleitos pelo funcionalismo sugeriram a criação de uma estrutura administrativa própria para o PASBC, enquanto os representantes do BC optaram por uma estrutura dividida pelas Gerências Administrativas Regionais.

Como se formou um impasse, a questão deveria retornar ao CG para ser rediscutida, conforme o item 12, do artigo 44, do novo regulamento do PASBC, que atribui ao CG a decisão sobre casos e situações controversas. Entretanto, o diretor optou por não observar o regulamento e implantou unilateralmente a proposta defendida pela direção da casa.

Em sua resposta, embora tenha afirmado que "não há intenção de diminuir as funções do CG do PASBC", o diretor confirmou que, segundo seu entendi-mento, o BC é o responsável pela gestão do PASBC e assim lhe caberia  o encaminhamento da questão, a nosso ver, em desalinho com o art. 44 do regulamento, segundo o qual compete ao CG estabelecer diretrizes e aprovar as políticas de gestão elaboradas pelo DEPES.

O diretor enfatizou ainda que não existe quadro de funcionários suficiente para alocar exclusivamente no PASBC.

Em que pese a confusão feita pelo Diretor Anthero entre gestão operacional e gestão estratégica, não se compreende a opção de colocar o PASBC sob a responsabilidade dos já sobrecarregados gerentes administrativos regionais, o que colocará o PASBC ainda mais em 2º plano. O SINAL propugnou ainda pela destinação, no novo concurso, de vagas específicas para alocação no PASBC, o que também foi refutado pelos representantes do BC.

O SINAL prosseguirá na busca por uma melhor estrutura para o PASBC, por considerar que a saúde de seus atuais e ex-funcionários deve ser um dos assuntos prioritários na pauta da atuação da direção do BC.

Amanhã, publicaremos outros tópicos que foram tratados na reunião.

Edições Anteriores RSS