Edição 49 – 30/3/2020

Paulo Guedes se mostra contrário à redução salarial de servidores


O ministro da Economia, Paulo Guedes, se manifestou contrariamente à redução salarial de servidores em meio à atual crise, causada pela pandemia do novo Coronavírus (Covid-19). O comentário se deu durante conferência via internet com representantes do mercado financeiro no sábado, 28 de março.

Segundo Guedes, as sugestões “deflacionárias” de corte nas remunerações não coadunam com um momento em que, de acordo com ele, é necessário injetar liquidez na economia brasileira. “Não acho que é o momento de fazer isso”, afirmou, destacando que não vê “sentido macroeconomicamente”. A análise do ministro referiu-se a projetos em tramitação no Congresso, a exemplo do PL apresentado pelo deputado Carlos Sampaio (PSDB/SP) na última terça-feira, 24, que prevê reduções de até 50% nos vencimentos.

A argumentação segue linha de raciocínio semelhante à defendida pelo Fórum Nacional Permanente de Carreiras de Estado (Fonacate). Vale lembrar que, em reunião na quarta-feira, 25, lideranças do Fórum ponderaram que a diminuição de salários, neste momento, tende a agravar o difícil cenário econômico que o país enfrentará, em decorrência da pandemia.

O Sinal, no entanto, segue acompanhando os variados projetos de interesse do conjunto dos servidores no Legislativo, de modo a evitar que o atual cenário sirva de justificativa a mais um severo e indevido ataque à classe.

Longe de significar um fim às nossas preocupações, a fala do ministro desperta a necessidade de continuarmos atentos aos próximos acontecimentos, mantendo-nos mobilizados para agir prontamente em defesa dos servidores e do serviço público brasileiro.

Edições Anteriores