Clique no título para ler as matérias na íntegra

Edição 119 – 16/7/2020

Em reunião de trabalho com SGP, Fonacate cobra encaminhamentos a demandas ainda pendentes

O presidente do Sinal, Paulo Lino, compôs a delegação do Fórum Nacional Permanente de Carreiras Típicas de Estado (Fonacate) que voltou a se reunir com a equipe da Secretaria de Gestão e Desempenho de Pessoal (SGP) do Ministério da Economia nesta quarta-feira, 15 de julho. Na videoconferência, as lideranças do Fórum cobraram respostas a pleitos já exaustivamente discutidos, para os quais ainda não foram apresentados encaminhamentos. Exemplos disso são: a modificação, de 1 hora para 30 minutos, no dispositivo que estabelece o intervalo mínimo para refeição; a manutenção dos dirigentes classistas na folha de pagamento dos órgãos; a resolução dos


Servidores do BC garantem controle da inflação

Um dos objetivos fundamentais do Banco Central é o de assegurar a estabilidade do poder de compra da moeda, ou seja, na prática, manter a inflação sob controle, próxima das metas estabelecidas pelo Conselho Monetário Nacional. Para alcançar esse objetivo, os servidores do BC analisam as variações do mercado e preparam relatórios minuciosos para subsidiar as deliberações do Comitê de Política Monetária (COPOM), formado pelos membros da diretoria do Banco, que visam manter controle sobre o custo do dinheiro (taxas de juros) e a quantidade de dinheiro (condições de liquidez) na economia. A inflação controlada traz benefícios incalculáveis à sociedade


Edição 118 – 15/7/2020

Em assembleia, Fonacate discute regulamentação do teletrabalho

O Fórum Nacional Permanente de Carreiras Típicas de Estado (Fonacate) promoverá, em setembro, uma grande conferência virtual com foco em governo digital, inteligência artificial e fundamentos para o teletrabalho na Administração Pública. O objetivo é reunir especialistas, parlamentares e representantes do Executivo e do funcionalismo para debater os temas, que têm pautado o diálogo das entidades com a Secretaria de Gestão e Desempenho de Pessoal (SGP), do Ministério da Economia. A organização do evento, bem como a continuidade das tratativas com o governo, esteve em discussão durante assembleia geral do Fórum nesta terça-feira, 14 de julho, que contou com a


Edição 117 – 14/7/2020

Teletrabalho: Fonacate inicia tratativas com governo

Dando início às tratativas acerca da regulamentação relativa ao teletrabalho, pós-pandemia, no âmbito do serviço público federal, o Fórum Nacional Permanente de Carreiras Típicas de Estado (Fonacate) se reuniu, por videoconferência, com a Secretaria de Gestão e Desempenho de Pessoal (SGP), do Ministério da Economia, nesta segunda-feira, 13 de julho. O encontro é um desdobramento da reunião entre as entidades e a SGP na última semana. Relembre na edição 113 do Apito Brasil. Os representantes do Fórum observaram a necessidade de uma ruptura com modelos ultrapassados de gestão sem sintonia com o princípio da boa-fé. Destacou-se, também, que a modalidade


SCR, desenvolvido por servidores do BC, facilita operações de crédito

O Sistema de Informações de Crédito (SCR) do Banco Central é um dos maiores bancos de dados do mundo sobre as operações de crédito realizadas em um país, com mais de 170 milhões de consultas/mês. Além de ajudar o cidadão a ter um maior controle sobre seu relacionamento com o sistema financeiro, por meio do Registrato, é uma importante ferramenta para supervisão bancária, favorecendo a solidez do Sistema Financeiro Nacional (SFN) e facilitando a tomada de decisão nos processos de concessão de crédito. Saiba mais aqui. Este e outros cards da campanha de valorização dos servidores do Banco Central você


Edição 116 – 13/7/2020

“Por que não é uma boa ideia financiar a prorrogação do auxílio emergencial com corte de salários de servidores públicos?”

Nas últimas semanas, você acompanhou aqui no Apito Brasil, uma série de razões contra a redução salarial dos servidores, em especial neste momento de crise, decorrente da pandemia da Covid-19. Fruto do estudo “Por que não é uma boa ideia financiar a prorrogação do auxílio emergencial com corte de salários de servidores públicos?”, do economista Bráulio Cerqueira, a campanha, em pauta também nas redes sociais do Sinal, apresentou argumentos que desmistificam o discurso populista de que a diminuição das remunerações seria imprescindível para o país superar este momento adverso. A alegação motiva uma falsa impressão, que, dia a dia, fontes do


Edição 115 – 10/7/2020

Corte de salários e investimentos pode aprofundar recessão, aponta economista

O oitavo, e penúltimo, argumento trazido pelo economista Bráulio Cerqueira contra a redução salarial dos servidores aponta que a diminuição da renda e do investimento não é uma medida salutar com vistas à superação da crise causada pela pandemia da Covid-19. Pelo contrário, aponta, o corte pode aprofundar o cenário de recessão. Confira abaixo: “É a recuperação da economia e não o corte de gastos na crise que promove a melhoria das contas públicas” Cortar salários dos trabalhadores do serviço público ou subtrair recursos de programas sociais aprofunda a recessão e a queda de receitas. O que permite pagar a


Edição 114 – 9/7/2020

Trabalho remoto: SGP delega decisão a órgãos; competência implica responsabilidade pela saúde de servidores

Nas recentes reuniões da Secretaria de Gestão e Desempenho de Pessoal (SGP) do Ministério da Economia com o Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais (Fonasefe) e o Fórum Nacional Permanente de Carreiras Típicas de Estado (Fonacate) – relembre nas edições 111 e 113 do Apito Brasil –, o trabalho remoto foi uma das pautas principais. Nos encontros, o secretário Wagner Lenhart reforçou que a pasta deu autonomia aos órgãos “para conduzir o processo de organização das atividades presenciais bem como pela opção ou manutenção do trabalho remoto”. Cabe, portanto, à diretoria da Casa a decisão acerca da data,


Campanha de valorização dos servidores do BC: saiba como está sua vida financeira

Veja, a seguir, a mais nova publicação da campanha de valorização dos servidores do Banco Central do Brasil, em pauta nas redes sociais do Sinal. Acompanhe pelo Facebook e pelo Instagram.   Você abriu uma conta e não sabe se a encerrou? Quer saber se tem dívida em alguma instituição financeira? Ou, ainda, consultar operações de câmbio? Você pode ter essas e outras informações visitando a página Minha Vida Financeira, no Portal do Banco Central, e cadastrando-se no sistema chamado Registrato, que também pode ser acessado por meio do internet banking ou do app do seu banco. Estar bem informado


Edição 113 – 8/7/2020

Fonacate: trabalho remoto, teletrabalho, licença capacitação e reforma administrativa são temas de reunião com SGP

Representantes de entidades que integram o Fórum Nacional Permanente de Carreiras Típicas de Estado (Fonacate) se reuniram com a equipe da Secretaria de Gestão e Desempenho de Pessoal (SGP) do Ministério da Economia, nesta terça-feira, 7 de julho. O presidente do Sinal, Paulo Lino, participou da videoconferência, que marcou a retomada do diálogo entre servidores e governo. As lideranças do Fonacate reafirmaram posição contrária a diversos pontos de instruções normativas e decretos editados nos últimos anos, que prejudicaram o funcionalismo. Dentre eles, o Decreto 9.991/2019 que limitou, em 2%, o quantitativo de servidores afastados simultaneamente para licença capacitação. O secretário


“Por que não é uma boa ideia financiar a prorrogação do auxílio emergencial com corte de salários de servidores públicos?”

Apresentamos hoje, 8, o sétimo argumento trazido pelo economista Bráulio Cerqueira contra a redução salarial dos servidores públicos. 7. A economia com a redução de salários é inócua, não representará nem 1% do gasto do governo com a crise. Somando-se a prorrogação do auxílio emergencial com os demais gastos em defesa da população e com a sustentação do mercado financeiro, estima-se em R$1.773 bilhões os dispêndios do governo federal com a crise em 2020. Supondo uma redução linear de 25% dos salários dos servidores ativos federais por três meses, isso redundará em economia de R$ 10,6 bilhões. O corte de


Edição 112 – 7/7/2020

Corrosômetro: dez anos de arrocho

Dez anos de arrocho, anuncia lugubremente a mais recente atualização do Corrosômetro, produzido pelo Sinal. O estudo aponta que adentramos o mês de julho com uma defasagem salarial de 15,9% em relação a julho de 2010. A perda para a inflação equivale a 19,6 salários no período e nem mesmo os reajustes conquistados na última década foram capazes de aplacar a série histórica de corrosão salarial, ainda agravada por outros dois fatores: o aumento das alíquotas de contribuição previdenciária, fruto da Emenda Constitucional (EC) 103 e, no caso dos servidores do Banco Central, as mudanças no modelo contributivo do PASBC.


Campanha de valorização: o servidor do BC faz o dinheiro chegar às suas mãos

Os servidores do Banco Central trabalham para que não faltem cédulas e moedas em nenhum recanto do Brasil. Para atender à demanda de um país de tamanho continental é preciso planejar desde a quantidade a ser fabricada, até a remessa aos bancos, que cuidam da distribuição. Para chegar às suas mãos, o dinheiro percorre um longo caminho e são os servidores do BC, com profissionalismo e qualidade, que garantem mais esse serviço à sociedade. Saiba mais aqui. Este é o mais novo card da campanha de valorização dos servidores da Autarquia já nas mídias sociais do Sinal. Acompanhe pelo Facebook


Edição 111 – 6/7/2020

Fonasefe se reúne com Ministério da Economia

Representantes do Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais (Fonasefe) reuniram-se na última sexta-feira, 3 de julho, com o secretário de Gestão e Desempenho de Pessoal do Ministério da Economia, Wagner Lenhart, e sua equipe. O presidente, Paulo Lino, representou o Sinal. A pauta de reivindicações entregue ao Ministério em fevereiro deste ano, o trabalho remoto excepcional e temporário, a ameaça, em alguns órgãos, de retorno precipitado ao trabalho presencial neste momento em que não se observa nenhuma melhora nos indicadores da pandemia da Covid-19 e uma nova regulamentação do teletrabalho, a ser implementada em momento posterior ao estado


“Por que não é uma boa ideia financiar a prorrogação do auxílio emergencial com corte de salários de servidores públicos?”

O Apito Brasil traz hoje, 6 de julho, o sexto argumento apresentado pelo economista Bráulio Cerqueira contra a redução remuneratória dos servidores públicos, tema recorrente na agenda do Legislativo e desejo antigo da equipe econômica do governo.  Confira abaixo. Reduzir sem necessidade salário de servidor público é escolha ideológica. Ao injetar mais de R$ 1,2 trilhão no mercado financeiro, o governo não cogitou ampliar a taxação de lucros ou reduzir salários dos diretores de bancos. No entanto, para prorrogar o auxílio emergencial necessário à defesa da vida da população, aventa-se contribuição dos trabalhadores do serviço público que: I) estão à


Edição 110 – 3/7/2020

Fonasefe se reúne hoje, 3, com secretário Wagner Lenhart, do Ministério da Economia

Representações do funcionalismo que integram o Fórum das Entidades Nacionais dos Servidores Públicos Federais (Fonasefe) se reúnem na tarde de hoje, 3 de julho, com a equipe da Secretaria de Gestão e Desempenho de Pessoas (SGP) do Ministério da Economia. O presidente do Sinal, Paulo Lino, participará do encontro com a delegação do governo, liderada pelo secretário Wagner Lenhart. A possibilidade de um retorno iminente ao trabalho presencial nos órgãos da Administração Pública será o ponto de partida dos diálogos, que contarão, ainda, com outros assuntos de interesse das carreiras, inclusive constantes da pauta reivindicatória unificada de 2020. Como se


“Por que não é uma boa ideia financiar a prorrogação do auxílio emergencial com corte de salários de servidores públicos?”

Na quinta das nove razões contra o corte de salários dos servidores, o economista Bráulio Cerqueira observa que não há restrição para o aumento do gasto público neste ano. Confira abaixo: 5. Também não há restrição econômica ao aumento do gasto público este ano Não há restrição econômica porque o aumento das despesas do governo, dada a profundidade da recessão econômica, não gerará inflação. As expectativas de mercado em junho compiladas pelo Banco Central apontavam inflação de 1,6% para 2020 e de 3,0% no ano que vem, recordes históricos de baixa. Do lado das contas externas do país também não


<< Anterior | 1234 56789101112131415 | Próxima >>